10 de fevereiro de 2015

Auschwitz: a viagem. (parte 2)

Como já referi aqui, o campo de concentração de Auschwitz I não foi construído pelos alemães. Era digamos, que um quartel do exército local que foi  ocupado pelos nazis. Estes fizeram dele um dos seus centros administrativos e aproveitaram parte das instalações para servir de campo de concentração. No entanto, as condições em que viviam os judeus eram péssimas (posto isto não vou ter adjetivos possíveis que caracterizem as condições em que os judeus viveram no campo de concentração de Auschwitz - Birkenau II que falarei num outro post). 

Condições... ou a tremenda falta delas...

Documentos originais dos prisioneiros...
Não faltam também provas, milhares de provas, milhares de objetos que embarcam em si mesmos o terror que milhares viveram e sofreram. Objetos carregados de sentires. Objetos pesados, como pesada foi a história dos seus donos. Aos judeus, foi-lhes tirado tudo.  Entravam no campo, e imediatamente eram despidos de tudo, desde os bens materiais até à sua dignidade. 
Eram-lhes incutida uma falsa esperança sobre o facto de aquilo ser uma temporada de trabalho e que no final todos os seus pertences lhes seriam devolvidos. Com esta falsa esperança, milhares de judeus marcaram religiosamente os seus pertences com nomes e moradas. Pormenores que avivam a malvadez do que aconteceu. Que dão força a um sentimento escuro, pesado e macabro que envolve toda a triste história do holocausto.

Malas... identificadas...

Vestuário de bebé, milhares de óculos e pertences pessoais.... Vou me conter e não mostrar fotos das centenas de rolos gigantes de cabelos... milhões de fios de cabelos.. transformados em roupas, tapeçarias,...
Se pensarmos que os nazis cientes da aproximação dos Aliados, em determinado momento deitaram fogo aos fornos, aos pertences pessoais, ao próprio campo... numa tentativa de não deixar vestígios e "enganar" a História... e que mesmo depois disso se encontraram milhares e milhares de objetos pessoais, conseguimos ter uma pequena ideia do inferno que ali se viveu, e da quantidade de vidas que se perderam. Dói só de pensar.  
Várias raças, várias nacionalidades levadas para o campo... Ao lado direito uma das forcas do campo...

Absurdos...

5 comentários:

  1. Continua com esta publicação que está espectacular e não tenhas medo de ferir susceptibilidades porque isto foi a realidade que muita gente desconhece ou nunca ouviu falar....(sim ainda existe muita falta de informação ou cultura )....

    ResponderEliminar
  2. gostava de visitar mas acho que emocionalmente ainda não estou preparada

    ResponderEliminar
  3. Diana Machado, não é fácil. Mas na minha opinião vale a pena este "murro no estômago" que nada se compara aos livros e filmes.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Todos devíamos conhecer! Devería ser obrigatório e as 2,5 páginas que falam sobre este pesadelo nos livros de história deveriam passar a um livro só, anexado. Pois não chega apenas...

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016