21 de setembro de 2015

Amamentação. A minha experiência. 1.º filho e 2.º filho, as diferenças.

E pronto, não resisti a ir ler o que na altura do Diogo escrevi sobre a minha experiência com a amamentação. Tenho lido tanta coisa sobre este tema, às vezes com tanto extremismo que assusta.

Isto foi o que escrevi sobre a amamentação na altura do meu primeiro filho.

"Enquanto grávida o tema amamentação era algo em que pensava mas que nunca me tirou o sono. Nunca fui de extremismos e apesar de querer muito amamentar, sempre pensei que se por alguma razão não o conseguisse não me iria sentir menos mãe e o meu bebé não iria ser menos saudável por isso. No entanto, sei, que por mais que tentem inventar todo o tipo de leites adaptados, não há melhor alimento para o nosso bebé do que o leite materno. Mas, e como já referi, nada de extremismos. 

Para a amamentação ser saudável a mãe tem de se sentir bem. Custa-me muito perceber algumas mamãs que a todo o custo tentam amamentar mesmo quando sentem dores horríveis, mesmo quando têm o peito em ferida. Mesmo quando se torna algo tão doloroso que as leva ao desespero. Tive muito receio que isso me acontecesse, e se por acaso tivesse de passar por isso queria muito ter o discernimento necessário para saber parar, parar de insistir em algo que só me estaria a trazer sofrimento. 

No entanto, tive a felicidade de não passar por nada disso, e acredito que a minha posição descontraída sobre o assunto ajudou a que tal não se verificasse. 

O meu baby D. tinha 3 horas de vida quando (finalmente!!) o colocaram ao pé de mim e ele instintivamente começou a mamar. Mamou tão bem como se já o tivesse feito a vida toda. Chorei tanto nesse momento. Não há palavras para descrever esse instante para lá de mágico. Não senti nenhuma dor. Nenhum desconforto. 

Os dias foram passando e cada dia me sentia mais confiante, e o meu baby mais à vontade. As dores nem vê-las, apenas um pequeno desconforto aquando da subida (descida?) do leite mas nada que um duche de água quente e massagens não acalmasse. Depois fui aplicando algumas vezes ao dia, durante o primeiro mês o creme purelan 100, da Medela. Os protectores de mamilo da Medela também me acompanharam sempre, dia e noite, durante 3 meses!! E mais nada, não usei mais nada e nunca senti qualquer tipo de dor, desconforto, nada. 

Como o baby D. foi um preguiçoso precisei de tirar leite, usei a bomba swing também da Medela, a minha marca de eleição em tudo que se refere à amamentação. E mesmo retirando leite várias vezes ao dia nunca senti o mínimo de desconforto. Nada. 

Aos 3 meses o baby D. após vários picos de crescimento começou a querer mamar muito e a espaçar muito pouco as horas das mamadas. Nunca ficava satisfeito. Introduzi o leite artificial, sem stresses, sem dramas, apenas com uma pontinha de saudosismo, senti que a amamentação exclusiva estava prestes a terminar... mas encarei isso como mais uma etapa do seu desenvolvimento. 

Ele está óptimo, saudável e eu guardo as melhores recordações do tempo em que o amamentei exclusivamente. Acredito plenamente que o factor psicológico é parte da chave do sucesso de uma amamentação feliz."

Isto é o que escrevo hoje, sobre a amamentação.

Fiz com o Dinis basicamente o mesmo que fiz com o Diogo. O Dinis mamou ainda não tinha 1 hora de vida. E mais uma vez, foi algo mágico que nunca esquecerei. Desta vez, estou muito mais relaxada, e mais informada. Uma vez que o Dinis sempre mamou bem, raramente usei a bomba. E as horas que passei a dar de mamar nos primeiros dois meses já não me incomodaram tanto quanto do Diogo, porque afinal "faz parte". Foi preciso dar-lhe todo o tempo, e eu dei. E continuo a dar. e hoje após 5 meses e meio de amamentação exclusiva estou feliz. Os picos de crescimento acontecem e apesar de ficar cansada, aprendi a dar-lhe mama sempre que ele pede, tenha passado 3 ou 4 horas ou apenas 1 hora da mamada anterior. Pede e eu dou. Simples. Porque sei que daqui a pouco vou ter saudades desta cumplicidade, óh se vou. O rapaz já mamou nos shopings, no Portugal dos Pequenitos, na escritura da casa, no carro, na praia, na piscina, debaixo do guarda sol, na esplanada, eu sei lá. Os nossos aliados nesta aventura foram sem dúvida, o sling, as fraldas de pano e as doses de paciência e descontracção. E claro, o facto de ter em casa o Diogo faz com que não me possa dar ao luxo de ficar em casa porque sim, porque o Diogo tem de sair, e brincar e correr, e claro sempre que possível eu e o Dinis vamos atrás do Diogo e do papá. Porque só assim faz sentido para nós.

13 comentários:

  1. E é tão bom amamentar, obviamente quando a mãe tem disponibilidade para tar! Também não são nada de extremismo. Amamentei a Sofia em exclusivo até ao dia em que fez 6 meses. Quando tentei introduzir a sopa correu mal. A fruta também correu mal. A única coisa que come é a papa. Não sei se fiz bem em deixar passar tanto tempo só com leite materno. Lê-se muita coisa. Mas o mais importante é nós, mães, sentirmo-nos bem e termos a consciência que fizemos o melhor pelos nossos filhos :)

    ResponderEliminar
  2. andorinha acreditas que ando com esse receio? Já me disseram tanta coisa... O Diogo começou a sopa e papa aos 4 meses e correu lindamente... Agora com o Dinis vamos ver.... mas tenho receio confesso.

    ResponderEliminar
  3. Eu so amamentei 3 meses, apos uma grande infecção nos dentes tive de introduzir o leite adaptado ma gostei e penso que num terceiro filho correrá melhor.

    ResponderEliminar
  4. andorinha e ML eu amamentei em exclusivo até aos seis meses e a minha filha desde a primeira refeição que come super bem, até hoje. A minha sobrinha tem 6 anos, foi alimentada sempre com leite artificial e até hoje é um terror para comer! Nada é certo, depende da criança. Parabéns ML, eu espero conseguir amamentar novamente e que desta vez seja mais fácil!

    ResponderEliminar
  5. Moa fico mesmo feliz. Já ouvi cada coisa. Como do Diogo introduzi mais cedo agora andava a pensar nisto. Acho mesmo que nesta coisa dos bebés depende deles e pronto. E às vezes faz-se associações erradas. :)

    ResponderEliminar
  6. Muito bonito!
    Cada caso é um caso.
    Vê o que escrevi sobre o tema:

    Amamentar a primeira vez:
    http://vidademulheraos40.blogspot.pt/2012/10/amamentar-primeira-vez.html
    Amamentação do segundo filho:
    http://vidademulheraos40.blogspot.pt/2012/10/amamentacao-do-segundo-filho.html

    E por fim, Amamentar, sim ou não?
    http://vidademulheraos40.blogspot.pt/2012/10/amamentacao-sim-ou-nao.html

    Bjs,
    Paula

    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  7. Paula vou ler cuidadosamente!! :)) Obrigada pela partilha!

    ResponderEliminar
  8. Sem dúvida que depende dos bebés. Amamentei os meus dois filhos até aos 6 meses em exclusivo e o mais velho adaptou-se lindamente às sopas, fruta e papa. Já a minha bebé (agora com 8 meses) demorou mais tempo a adaptar-se, mas agora já come tudo muito bem. Há pessoas que tb desistem muito facilmente de lhes dar determinados alimentos, acham logo que eles não gostam, e toca a dar-lhes fruta embalada. Demora algum tempo até eles se habituarem a certos sabores. A minha filha só agora é que começa a comer a sopa sem "borrifar" tudo. Foi preciso alguma persistência da minha parte, mas agora come de tudo. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Anónimo obrigada pelo testemunho! :)

    ResponderEliminar
  10. O mais importante é recolher informação e depois tomar a decisão que melhor se adeque a nós e ao nosso bebé. Sem extremismos. E cada bebé é diferente. Eu que o diga que amamentei três.

    Bjs,
    Paula

    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  11. Concordo que o melhor é escutarmos as nossas próprias necessidades. Eu sou uma pessoa calma, encarei tudo com naturalidade - tanto que o meu primeiro parto foi de 6 horas, bem abaixo da média. No entanto a amamentação foi um desafio - mamilos gretaram, subida do leite dolorosa, 2 mastites... mantive a calma e disse a mim mesma - isto um dia vai ser fácil! e assim foi. Aos 2.5 meses bebé pesa ja 7kg, apenas com leite meu desde o 1º mês (antes disso dei suplemento 1x/dia para dar tempo aos mamilos de recuperarem um pouco). Acho que seria mais difícil parar de dar maminha porque é um grande conforto para o bebé, que de outra maneira teria de ser embalado sei lá quantas horas nocturnas. :) Bjs

    ResponderEliminar
  12. Sofia P. isso foi uma vitória das grandes! Parabéns. Depois de mastites muita gente desiste.

    E sim, concordo que cada uma nós deve ouvir o seu coração e cabeça e seguir o instinto porque nós somos as mães e sabemos quase sempre o que devemos fazer. :)

    ResponderEliminar
  13. São Gémeos conseguiste dar 3 meses aos gémeos? Que vitória!!! Em grande! :)

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016