27 de março de 2016

Boa Páscoa. Com saudades da Páscoa de outros tempos.

Tenho saudades da Páscoa na aldeia, daquela Páscoa junto dos meus bis-avós e também avós. Saudades do cheiro a cabrito assado no forno de lenha. Saudades da azáfama desse dia. Da família reunida. Saudades do cuidado das minhas avós em ter tudo limpo e arrumado, a melhor toalha estava na mesa, com o prato das amêndoas em cima, o copo com o melhor vinho e ao lado o envelope estrategicamente colocado. Sim, o envelope para o senhor padre, pois claro. Saudades dessa mesa aprumada para receber o compasso que entrava e cumprimentava os meus avós pelos nomes. Nós, os mais novos, passávamos a tarde apostar em que estado o senhor padre chegaria, estado esse que variava entre o muito alegre ou simplesmente alegre. As gargalhadas que soltávamos, tão boas. Saudades de apanhar os verdes mais bonitos do jardim e os colocar na entrada da porta, como se de uma bela passadeira se tratasse. E até era, a mais bela de todas. Saudades de ouvir os compassos, muitos compassos, de ver as famílias dos amigos e dos vizinhos, lá da aldeia, todas reunidas.
A minha Páscoa era assim até aos meus trinta anos, mais coisa menos coisa. Muitos anos, muitas saudades. Hoje a minha Páscoa é diferente. Os meus filhos não vão conhecer essa Páscoa e eu tenho pena. Mas vão ouvir histórias, muitas histórias dessa Páscoa da mamã e disso eu não abdico, eles que arranjem lá paciência para me ouvir, que estas histórias não se podem perder.

3 comentários:

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016