3 de setembro de 2016

Mas o que é isso do minimalismo? Faz-nos falta esta “moda”?

Ora bem, a minha vida, ou melhor a vida de todos cá de casa, está novamente em processo de mudança (um dia sentirei necessidade de escrever sobre isso, mas hoje não é o dia). Bem, mas nesta fase de mudança, senti uma vez mais necessidade de destralhar a minha vida. A verdade é que sinto este impulso de quando em vez. Porque na verdade por mais que pense desfazer-me de objectos, roupas, bijutarias, etc... que sei que estão a mais cá em casa e que não são usados, muitas vezes custa-me e desisto. Quer pelo valor sentimental, pelo dinheiro que custaram, ou mais estupidamente por pensar que um dia ainda me vão ser úteis. Mas, é óbvio, que não os vou usar, se não me fizerem falta no último ano, é irreal que me voltem a fazer falta. 

Claro que não tenciono ter uma casa “despedida” de tudo. Quero uma casa real, cuidada, mas simples e minimal. Não quero objectos que não uso, não quero quadros e quadrinhos, que só dão trabalho a limpar. Não quero o meu armário cheio de roupa que não uso e que não me deixa ver a roupa que quero usar. Fazendo-me perder tempo e paciência na hora da escolha. Não quero uma casa que custe limpar, nem que me faça perder tempo precioso com os meus. Não quero viver para a casa, quero viver para mim, e para as minhas pessoas. Mas... também não quero uma casa sem vida, uma casa fria. Quero sim uma casa com os objectos certos, com as cores certas, quero vida nas paredes certas. Quero pormenores, apenas alguns detalhes que façam a diferença. Quero uma casa onde me sinta bem. 

Por isso, esta coisa do minimalismo, para mim faz sentido sim. Um minimalismo à nossa medida. Faz todo o sentido despachar o que nos impede de respirar. Do que nos impede de ter mais tempo útil. Despachar as coisas que enchem a nossa vista, que poluem a nossa mente, para conseguirmos viver mais e melhor. (Sim, se conseguir perder menos 2/3 horas por semana a organizar\limpar\tratar da roupa e da casa sou menina para ficar muito feliz!). Por isso, por cá vamos começar esta empreitada: fazer do menos mais. Devagar, mas havemos de lá chegar!

[Sim, o objectivo é despachar muitas coisas, mas não as vou deitar ao lixo que isso não faço. Vou vender, doar, oferecer, dar a familiares,....]

9 comentários:

  1. Eu a minha roupa já faço isso, mas acontece tantas vezes ficar com algo porque "ainda pode dar jeito", que posso reduzir muito mais!!

    ResponderEliminar
  2. Gostei! Por cá já comecei a praticar o desapego há muito tempo, e parece que as coisas continuam a crescer. A verdade porém, é que noto que muitas delas estão bem melhores e que evolui bastante, até mobiliário já tenho para tirar de casa pois ficou vazio. Boa sorte!

    ResponderEliminar
  3. MSPE a sério? Um dia quero chegar a esse ponto de ter de retirar mobiliário porque já não faz falta. Principalmente, estantes e estantes da garagem!

    ResponderEliminar
  4. Concordo contigo. Acho que há certas coisas que não nos fazem falta.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Nos últimos meses consegui, finalmente, retirar do armário todas as roupas que já não usava há anos e dar. Agora estou a vender as coisas que só estão a ocupar espaço e que não me fazem falta... aos poucos, tal como tu, vou conseguir chegar ao meu minimalismo :)

    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  6. estou exatamente na mesma onda. viva o destralhanço para uma vida mais simples.

    ResponderEliminar
  7. Já comecei a fazer isso há algum tempo. Senti necessidade de me desfazer de coisas que já não faziam sentido ter e, olha, só custou começar. Agora, tento, com alguma regularidade, ir destralhando gavetas, armários... Assim não acumulo nada que possa estar a ocupar o espaço de outra coisa mais importante. E, além disso, acabo por destralhar a mente também. Pode parecer parvo, e eu própria não acreditava nisso, mas depois que comecei a limpar a casa de coisas supérfluas, sinto-me bem mais leve! ;)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Se há coisa que gosto de fazer ao fim do verão e do inverno é destralhar. Roupa que esteja estragada umas vezes aproveito para as limpezas, uma coisa velha serve. Se for coisas que já não me identifique ou que não sirvam, normalmente meto num saco e dou a familiares que precisem.
    Na decoração quanto mais simples melhor. Ainda sou do tempo em que usavam paninhos por baixo da tv, e aqueles bibelôs a enfeitar, e para mim isso só dá trabalho.
    Quanto ao minimalismo na roupa, aqueles "desafios" de X peças por estação não dá. Até porque a minha roupa cabe toda no armário, verão e inverno. É mais uma questão de ser prática, e olha que dá muito menos trabalho que ter montes de tralha acumulada. :)
    beijinho*

    ResponderEliminar
  9. Há algum tempo que vivo um estilo de vida (parecido) com o minimalismo!
    Uma pessoa sente-se melhor, há menos ruido visual, temos menos para limpar, menos com que nos preocupar... só traz vantagens, para nós e para quem ajudamos com o que não usamos mais :)

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016