30 de outubro de 2016

Saudades minhas.

Algumas vezes sinto saudades da impulsividade e da coragem que me caracterizavam há uns anos. Agora, na maioria das vezes, penso e repenso as coisas, tantas e tantas vezes que me perco em mil pensamentos para no final nada mudar.
* ser mãe também nos muda a este nível, pelo menos a mim mudou-me e muito.

6 comentários:

  1. Olha sinto o mesmo! Idealizado e depois não ponho em acção.

    ResponderEliminar
  2. Ainda não sou mãe. Na realidade, não sei se alguma vez o serei, mas dou por mim muitas vezes a olhar para a minha mãe e a pensar se ela terá saudades suas... Apesar de já ter uma filha feita, eu, a realidade é que coração de mãe não descansa... E ainda bem! Se calhar já não são como eram antes, mas sim como têm que ser agora e isso é que importa, certo? =)

    Um beijinho,

    http://obiquinidourado.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Se dantes tudo era mais espontâneo, hoje já não o é. Uma pessoa tem de ponderar dez mil coisas e depois, com tanto pensamento, perde-se a espontaneidade e uma pessoa acaba por ficar onde está. Percebo cada palavra tua. E às vezes também sinto falta de "é agora!" e pronto, era mesmo.

    ResponderEliminar
  4. Também tenho saudades disso. E saudades de coisas básicas como ir para a cama às horas que me apetece, sabendo que na manhã seguinte posso ficar na ronha. Poder posso... mas o acordar será à hora que a criança quiser (às 7 h ou menos 365 dias por ano!)
    Mas compensa com os miminhos de filho :)

    ResponderEliminar
  5. Sim, mãe de 2, também sinto o mesmo. Mas, nos últimos tempos, dentro do razoável, tenho-me forçado a ter mais coragem de arriscar, principalmente quando as coisas estão paradas demais, não trazem motivação mas sim frustração e/ou até tristeza. Somos mães e precisamente por isso mesmo precisamos sentir-nos “vivas” pois queiramos ou não, servimos de modelo e não nos acomodarmos e não nos deixarmos vencer por esta tendência é essencial, porque de uma mãe realizada e feliz, só traz benefícios para os seus filhos. Por muito muito difícil que seja na prática, temos que contrariar (dentro do razoável) esta tendência. Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Também sinto isso em parte. Apesar de ter arriscado bastante em algo na minha vida já sendo mãe, há duas coisas na minha vida que gostava de fazer, mas que estou sempre a adiar por medo. Talvez um dia ganhe coragem.

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016