31 de dezembro de 2015

Obrigada 2015. Olá 2016.

Sinto-me verdadeiramente abençoada. E agradeço muito. Muito.

30 de dezembro de 2015

12 objetivos para 2015, ora vamos lá a contas.

Depois de atualizar este post, percebo-me que metade dos objetivos ficaram por cumprir. Mea culpa. 
Mas contudo, foi um ano muito bom. Um ano que tive o prazer de estar em casa, de usufruir dos últimos meses de gravidez junto do meu príncipe mais velho e marido. Estive também internada com ameaça de parto prematuro mas depois o Dinis portou-se lindamente e veio apenas conhecer-nos no mês dele. E brindou-me com um parto maravilhoso, digno de um sonho. Seguiram-se meses de adaptações a novas rotinas, a quatro. Meses de muito mimo. De atenção e cuidado. De férias a quatro, com a casa às costas. De cansaço e noites mal dormidas. Mas, de minha parte o que fica deste ano é sem dúvida uma gratidão enorme por ter conseguido acompanhar, a tempo inteiro, os meus dois príncipes, durante todos estes meses. A entrada do mais velho na escolinha. As primeiras sopas e papas do mais novo. O gatinhar. O palrar. O bater palpinhas. Os sorrisos de irmão para irmão e as primeiras cumplicidades a dois. Tanta coisa nova que assisti na primeira fila, como todas as mães deviam assistir e por isso dou graças. Agradeço. Muito.
2015 foi, também, o ano que deixamos o apartamento que nos viu nascer como família e que ficará para sempre no nosso coração e arriscamos numa mudança de casa. De um apartamento para uma moradia. E aqui estamos nós ainda numa fase de adaptação... a ver vamos. 
Obrigada 2015. Foste um ano bom. Vimos nascer o nosso segundo bebé e as pessoas que amamos continuam ao nosso lado. Fortes, saudáveis e felizes. Obrigada a ti, P. por tudo. Que venha 2016, e seja igualmente meiguinho connosco, estamos prontos. ♥

28 de dezembro de 2015

Última 2.ª feira...

... do ano antes do regresso ao trabalho. Última segunda feira de um ano memorável em que tive o privilégio de estar dedicada a 100% aos meus dois pequenos príncipes.  O regresso ao trabalho aproxima-se... tic tac... 

26 de dezembro de 2015

O Natal? Já foi.

E pronto já estamos de ressaca do Natal e aguardar o próximo. Os dias especiais passam rápido essa é que é essa. Foi o nosso primeiro Natal a quatro e a festa foi deles e para eles. O mais novo dormiu no nosso colo quase o tempo todo, despertou na altura da chegada do Pai Natal com a euforia vivida pelo mano e pelas primas. Foi um Natal ótimo junto dos nossos. E só desejo que para o ano seja igual. Estes dias em família enchem-me o coração. Ter cá o meu irmão que passa o ano todo fora também ajuda a este sentimento de família completa. Estou feliz.
Quanto ao Pai Natal para variar foi muito generoso e só tenho de agradecer, agradecer, agradecer. Máquina fotográfica, um tablet bom e lindo, brinquedos q.b. para os miúdos (já arrumei uns quantos ainda nas caixas para distribuir durante o ano) e muita roupa para eles que crescem à velocidade da luz e não podia pedir mais. Ah, e ofereci ao gajo cá de casa as placas mais giras que andam por aí. ;) 




22 de dezembro de 2015

Feliz Natal.

E como o tempo anda contado ao segundo por estes lados, deixo já hoje os meus desejos sinceros de um feliz Natal a todos que por aqui passam. Que seja um Natal quentinho e cheio de sorrisos e coisas boas. Feliz Natal, malta!

Os meus melhores presentes. D & D. ♥

18 de dezembro de 2015

Não sou perfeita e culpo-me.

Hoje o Dinis caiu abaixo da minha cama. Um estrondo que não me sai da cabeça. Depois de 30 minutos ao telefone com a Saúde 24 (sempre impecáveis, diga-se), fomos encaminhados para as urgências. Graças a Deus já estamos em casa. E eu só me sinto a pior mãe do mundo. Só. Sim foram 30 segundos que o deixei a dormir na minha cama. 30 segundos depois estava a ouvir o estrondo que os meus ouvidos não esquecem. Sim eu sei que mil olhos são poucos e que não se deixa o bebé na cama quando ele já gatinha e rebola. Eu sei. Eu errei. E sinto-me péssima. Mas eu queria só um beijo de bom dia do mais velho. Queria um xi. E eu não tenho quatro braços. E isto de ser mãe de dois nem sempre é fácil. E eu deixei o mais pequeno a dormir. E culpo-me porque para abraçar um, deixei o outro sozinho e ele caiu. Caiu! E uma pessoa sente-se apenas e tão só a pior mãe de todas. E a achar que isto só me acontece a mim porque só vejo é mães perfeitas ("sóquenão") por aí.

17 de dezembro de 2015

Agradecer. ♥

Agradecer a família que tenho. Todos os dias. Apesar do cansaço, somos tão mas tão sortudos. Por tanta e tanta coisa. Pelo brilho no olhar, pelos sorrisos, pela saúde, pelo amor que nos une. Pela compreensão. Pelo carinho. Pelos abraços e xis a quatro tão mas tão quentinhos e cheios de energia. Agradecer sempre, por tudo que temos. Lembra-te disso ML. Agradecer. Simplesmente. ♥

E mais uma vez...

... a ausência por estes lados deve-se a "..ites". Otites. E a malta aqui sem dormir, e a ver os dias passar em piloto automático. Só para eu mais tarde recordar, devo dizer que estes dias têm sido (de longe!) mais difíceis do que os dias pós-parto como família de quatro, onde a aprendizagem foi muita e as hormonas ainda estavam aos saltos.
Mas agora parece-me que tudo está mais calmo... A ver vamos!

[E o eu último mês de licença a passar sem eu dar por ele... oh sorte!]

9 de dezembro de 2015

Inconvenientes de dormirem no mesmo quarto.

Os dois dormiam a sesta no mesmo quarto, eu descansava e aproveitava para adiantar alguns embrulhos de natal.
Começo a ouvir agitação no quarto. Vou espreitar.
Diogo já em pé, com não sei quantos carros na mão, e de luz acesa.

(Eu) - Então Diogo já dormiste tudo? Não podes acender a luz que o bebé está a dormir. Porque é que acendeste? 
(Diogo) -  Eu quero cordar e cendi.
(Eu, a tentar tirá-lo do quarto antes que acorda-se o irmão) - Mas o mano quer dormir não podes acender.
(Diogo) - Bebéeeee coda!!!!

E pronto, escusado será dizer que acabou-se na mesma hora o sossego e a sesta dos dois.

Para o Natal o meu presente eu quero que seja...

... um tablet que o meu está a ficar impossível de tão lento que está. Um apple mini branco ou um Samsung melhor do que o meu era muito bem vindo.



... uma carteira, há uma gira na Zara Pai Natal, esta por exemplo



... uma máquina fotográfica em condições. Nunca mais acerto numa máquina que me satisfaça. Alguém perito por esse lado e que tenha sugestões?

Sony Cyber-shot DSC-RX100 III

E pronto, era isto, mas antes destas três coisas eu queria muita mas mesmo muita saúde para mim e para os meus! Agradecida.

Tão crescido! ♥

8 maravilhosos meses. Obrigada bebé.

8 de dezembro de 2015

8 meses. ♥


O meu príncipe mais pequenino faz 8 meses. 8 meses a dia 08. E eu estou tão grata por tudo que nos trouxe! É uma alegria e um poço de boa disposição. Continua um simpático que se ri com imensa facilidade. Este mês aprendeu a gatinhar e já ninguém o pára. * Aguenta-se sentado a brincar tempos sem fim. Ri-se perdidamente para o irmão e este cada vez mais lhe acha graça e diz para mim: "Mamã, bébé tá um cadinho grande." Pois está filho, o nosso pequeno príncipe está a ficar um bocadinho grande. Continuamos a dar muita maminha, e ele começa a comer um bocadinho melhor à colher, seja sopa ou papa. A fruta gosta de comer na mão.
Agora vou aproveitar muito mais este mês em exclusivo com ele, porque quando estivermos a festejar os 9 meses a mamã já regressou ao trabalho. Confesso, tem sido um privilégio vê-lo crescer assim, sem tempos, nem horas contadas, nem esquemas de comidas e corridas com tudo e mais alguma coisa. Tudo ao tempo dele.
Sê feliz bebé, estamos aqui sempre contigo. E já agora, podias começar a dormir a noite toda. Era tão bom meu doce! ;)

*Ah e bate palminhas que é um mimo! Love it!

7 de dezembro de 2015

Dos blogues famosos e da inveja.

Eu confesso, há uma coisa que eu invejo nos blogues famosos. Sim, eu invejo a quantidade de boas fotografias profissionais e de boa qualidade que têm com os filhos e filhas e maridos e afins. Eu cá, para arranjar uma fotografia decente da família de 4 cá de casa, vejo-me aflita e indecisa entre apenas 4/5 fotos onde conseguimos estar os quatro em quase 8 meses de bebé Dinis. Oh sorte!

O meu armário e eu agradecemos.

http://www.stradivarius.com/
Casaquinho novo que veio cá parar a casa. Porque sim. Porque mereço. Já o vesti diversas vezes e além de giro é super prático, seja para usar em looks mais formais como na imagem como em looks com calças de ganga e ténis! Adoro!

6 de dezembro de 2015

A matemática e os legos.

E de como eu gosto de números e de brincar com eles!

5 de dezembro de 2015

Cuidado com os desejos... eles realizam-se!

O Diogo mamou até aos 4 meses. Nessa altura e porque ia trabalhar antes dele completar os 5 meses começamos a alimentação complementar, sopa e fruta. E tudo correu lindamente. Começou também a beber leite adaptado no biberão e a vidinha corria que era uma maravilha neste campo da comida. No sono, e nas noites, a coisa por essa mesma altura também acalmou e passou a dormir a noite inteira até hoje com 3 anos.
Quando engravidei agora da segunda vez, uma das coisas que desejava era dar mais tempo de mamar, achei manifestamente pouco os 4 meses do Diogo. Queria também, tentar que o Dinis mama-se melhor e que eu não precisasse de usar a bomba, coisa que me chateava e cansava de sobremaneira aquando da amamentação do Diogo.
Dito e feito. O Dinis sempre mamou bem. Claro que no início a insistência e persistência da mãe é importante, mas a coisa sempre se deu naturalmente e sem grandes stresses. 6 meses de amamentação em exclusivo já ninguém nos tira. Mas agora estamos quase nos 8 meses e as refeições à colher já entraram nas rotinas dele, coisa que ele não gosta, e a cada refeição demoramos uma eternidade para que coma meia dúzia de colheres e a verdade é que continua a olhar para mim como um "pacote de leite ambulante". E sim, continua a acordar de noite 2/3 vezes para mamar. Ou para procurar aqui o aconchego da mamã. Sei que vou ter muitas saudades deste mimo só nosso, mas tenho tantas saudades de dormir!

E não, não bebe leite adaptado, não pega em nenhum biberão (nem com o meu leite) e despensa todas as chupetas do mercado! Oh vida!

Mas é o bebé de 7 meses mais fofo e simpático do mundo! ♥

4 de dezembro de 2015

O mês do Natal.


A árvore está montada! A casa está ainda mais bonita! E eu adoro este mês. Sempre o vivi intensamente desde que me lembro. Tenho uma família grande que faz questão de se reunir sempre (mas não só) nestes dias festivos. A festa é grande, somos muitos à mesa e eu adoro. Oh como adoro! E agora que tenho a minha família, os meus-putos-reguilas-mais-lindos, esta época do ano tornou-se ainda mais especial. O Diogo já só fala no Natal, diz que quer "um-pópó-forte-tinoni-pequenino" e que chega, não precisa de mais. Hoje ainda quero escrever as cartas ao Pai Natal e quero muito que os meus dois príncipes mais pequeninos entrem no espírito e na fantasia do Natal. Quero que acreditem no Pai Natal. Quero que acreditem que os sonhos se realizam. Quero que acreditem na magia de um pensamento feliz. Quero que acreditem na família e usufruam dela. Sempre. Com muitos sorrisos, e agradeçam sempre a sorte que têm.

Ando há mais de 6 anos a incutir este espírito de natal ao Prince maior lá de casa. O homem não era nada dado a estas coisas! Mas a coisa vai lá... oh se vai... daqui a pouco está pior que os dois reguilas, nesta coisa de brincar ao Natal! Se é que já não está!! :)

1 de dezembro de 2015

Dezembro.

O meu último mês de licença de maternidade, chegou... vamos a ele, porque o que tem de ser tem muita força. De preferência, que dezembro venha sem viroses, e sem ranhos e febres. Que dezembro venha cheio de sorrisos, e muita saúde! 

30 de novembro de 2015

Porque o Porto é lindo.


E as manhãs de fim de semana sabem sempre muito melhor quando sem vírus, tosses e ranhos, conseguimos sair e simplesmente apreciar a nossa cidade.

[Fotos tiradas num solarengo fim de semana de novembro]

Venha a nós o Natal.

E como o Natal é quando uma mulher quer, no meio do caos que tem sido os nossos dias, resolvi mimar-me, só porque sim. 
Duas bolsas Tous para ver se a minha mala fica mais organizada. Lindas. Só para mim. Porque mereço.

29 de novembro de 2015

...ites

O fim de semana passado... otites. Este fim de semana... conjuntivites. O meu príncipe mais velho está a ser um guerreiro. E nós continuamos cansados. Muito. Nem imagino como o meu pequeno se sente, com tantos médicos, urgências, e antibióticos.
No entanto, aproveitamos mais um fim de semana em casa para fazermos a árvore de Natal. Por isso nem tudo é mau. Ah, e o Porto ontem ganhou, e o bebé de 7 meses mais lindo do mundo tem conseguido escapar a todas estas viroses que o mano tem trazido. Talvez seja por continuar um agarrado à mama da mãe, ou então não. Por isso, no meio do cansaço há ainda muitos motivos para sorrir.
Bom resto de domingo!

21 de novembro de 2015

Vira o disco e toca o mesmo...

... disco das viroses! Foi preciso três anos, e uma entrada na escola para andar todasssss as semanas doente. Cansada. Muito cansada, é como me sinto.

18 de novembro de 2015

Blackfish the Movie.


Estes dias vi este documentário sobre a vida das orcas em cativeiro. É de 2013 mas só agora o consegui ver. Fiquei ainda mais repugnada com a facilidade e o desprezo com que o Homem captura, e se apropria de animais para pura diversão. As orcas são animais gigantes, lindos, e já se provou serem sentimentais, com sentido de família e inteligentes. Muito inteligentes.

Fica aqui a sugestão, vejam este documentário onde a sua principal história se centra na orca “Tilikum” capturada e retirada do seu habitat e do aconchego da sua mãe, de forma bruta ainda muito nova e levada para um parque de diversões. O famoso SeaWorld. Claro que não se adaptou. É sujeita a torturas desde 1983, data em que foi capturada. Já foi deixada em tanques escuros, por mais de 12 meses, em tanques mínimos para o seu tamanho e que não lhe permite a mobilidade que precisa, ... neste anos todos de cativeiro, já matou três treinadores. E de cada vez que o faz, o parque alega que foi descuido dos treinadores, e nunca culpa das condições anti-natura, e da violência física e psicológica a que a baleia está sujeita há mais de 30 anos! Chocante.


Para pensarmos. 

Fica aqui o trailer.

14 de novembro de 2015

Pray for Paris


Afinal existem sextas feiras 13. Medo muito medo é o que eu sinto, do agora e, principalmente, do amanhã.

Fazer e desfazer malas.

Mais chato do que desfazer as malas após as férias ou viagens, é desfazer as malas depois de cancelar a própria da viagem.
Sim, era só um fim de semana, mas era o primeiro fim de semana de viagem a quatro. Eu estava tão ansiosa e entusiasmada. E, ainda por cima está um sol maravilhoso para passear. Já disse que estou farta de coisas terminadas em "..ites" e ranhos, e tosses e febres?! Caramba. será que nas letras pequeninas do contrato que assinamos para a escolinha vem lá alguma clausula de que estas coisas estão incluídas no pacote?! Haja paciência e o Inverno só agora vai começar.

12 de novembro de 2015

Mudar de casa. Criar um lar.

Custou-me mudar de casa este verão. Por diversas razões, mas principalmente pelas lembranças (muito) boas que o nosso apartamento me deixou. Os D’s nasceram lá e tenho quase a certeza que só se lembrarão dele pelas fotos que vou fazer questão de lhes mostrar. O apartamento tinha (quase) tudo que idealizava. Mas era um T2 e sentimos que mais cedo ou mais tarde iríamos ter de mudar. Mas não foi fácil tomar essa opção. Para mim não foi de todo simples mudar, porque sou mega sentimental. E ainda hoje tenho muitas mas muitas saudades do nosso apartamento. Claro que agora na moradia temos (muito) mais espaço, um terraço enorme, quartos para tudo e mais alguma coisa mas... não me senti bem aqui logo à primeira. E só agora após 3 meses da mudança é que começo a sentir a casa como o nosso lar. Aos poucos começa a ter o nosso cheiro, as paredes começam a contar lentamente a nossa história e eu quero acreditar que vamos ser muito mas muito felizes aqui também. Estamos a fazer por isso.
Comprar casa é fácil comparado com a dificuldade que é criar um lar.

Quarto de brincar.
Escritório

Sushi.

https://www.pinterest.com/
Ando a ressacar com falta de sushi. Já não me lembro da última vez que comi. Algo de muito anormal se passa comigo, só pode. 

10 de novembro de 2015

Política. Portugal e nós.

Estou em casa. Televisão sintonizada na Sic Notícias. Sou masoquista só pode. Mas ao mesmo tempo não consigo ficar alheada ao que se está a passar com Portugal. No entanto, já não consigo ouvir uma tal de Catarina Martins, uma não sei quantas Mortágua, e outros tantos. Tanta utopia. Não consigo conceber um ataque destes ao poder e um Costa primeiro ministro. Não consigo. Dizem que o governo que ganhou as eleições cai hoje, sem sabermos o que vem a seguir. Assusta-me isto tudo. Esta ganância de poder. Este "umbiguismo". Mas assusta-me mesmo. Onde está o botão "Não gosto, quero fugir daqui?". Pela primeira vez na vida, aos 35 anos se me surgisse uma boa oportunidade, pegava nos meus e fugia disto.
Não gosto.

9 de novembro de 2015

Verão de S.Martinho.


Ontem fomos passear pelo (nosso) Porto. A quatro. E soube-nos tão bem! Confesso que por vezes sair de casa a quatro não é fácil, e entre lanches, roupas, fraldas, chapéus, agasalhos, mudas de roupa, etc... fico logo cansada e ainda não pus os pés fora de casa! Isto tudo, depois de uma noite mal dormida é dose! Mas depois... depois da neura me passar e entrar no carro, fico logo satisfeita por termos optado por sair e não termos, ficado pela solução mais fácil, tudo em casa e de pijama.
O Porto está lindo, e sempre cheio de vida. E então com manhãs de sol, fica maravilhoso!

8 de novembro de 2015

7 meses. ♥


Hoje fazes 7 meses meu bebé feliz. Continuas uma simpatia. Ris, sorris para toda a gente que te dá atenção. Iniciaste a alimentação complementar, depois de 6 meses de amamentação exclusiva e não estás a achar grande piada comer coisas à colher. Continuas a não querer biberão nem chupeta. E acordas de noite algumas vezes à procura da mamã. Quem disse que aprendíamos tudo com o primeiro filho? Vieste provar que quem disse isso estava redondamente enganado.
Continuas a ser um privilegiado e a ter a mamã em casa contigo. A mamã também se sente uma sortuda por, desta vez, ter conseguido uma licença mais alargada para cuidar de ti.
Gostas de ficar na posição de gatinhar. Mas ainda não gatinhas. Rebolas pela casa toda, todo feliz. Não paras quieto. E adoras ir buscar os legos do teu irmão para irem logo diretos à boca.
És um bebé feliz, que veio tornar a nossa vida ainda mais colorida e preenchida. Somos muito mais felizes contigo bebé Dinis. Obrigada. ♥

6 de novembro de 2015

Agenda 2016.


Também já tenho a minha! Simples, simples e prática, para andar todos os dias comigo. Mais o bloco "Great Ideas" que me tem acompanhado sempre. Os meus aliados de memória.

5 de novembro de 2015

Desejos para o sapatinho.

https://www.pinterest.com/
A vida corre lá fora. E eu continuo a ter o prazer de estar em casa com o meu bebé mais pequenino, neste tempo de maternidade só a dois. Um pequeno, grande luxo. Mas a vida continua a correr lá fora. Não tarda e estamos no Natal. E como eu gosto do Natal. Gosto de decorar a casa, de escolher os presentes e de os embrulhar. Gosto das tardes e noites de manta no sofá, caneca de chá ou de café, chuva na janela e muito mimo do rapaz cá de casa. Ah ok, o que é isso de estar no sofá? O que é isso "descansar"? De saborear momentos a dois sem horas marcadas... Já não me lembro. A sério, já não me lembro. Por isso, assim em jeito de primeiro desejo de natal queria voltar a ter noites bem dormidas. Noites de 8 horas de sono. E tempo, um bocadinho mais de tempo para mim e para nós dois. Estrelas, escrevam isto.

4 de novembro de 2015

E a baba ao vê-lo de bata?


Nós mães não batemos bem. A sério. Depois de parirmos nunca mais voltamos a ter as hormonas reguladas. Essa é que é essa. Não há nada a fazer.
Então custou-me horrores ter de tomar a decisão de o colocar na escolinha este ano e babo-me ao vê-lo de bata?!!! 

O dia chegou.

Estou cansada de ter o cabelo curto. Desgraceira feita aqui. É tudo muito bonito. Gosto de me ver e tal... mas não dá para fazer nada com ele. Nem prender. Nem ganchos. Nem nada. Só gosto de ver completamente solto. Sempre igual. Buáhhh...

Fitas. Tenho de experimentar fitas. Qualquer coisa.

30 de outubro de 2015

A festa dos 3 anos.

3 anos! Parabéns meu D. ♥
O meu amor maior já tem 3 anos. Foi um dia e uma festa à sua medida. Depois de andar uma semana a pedir "feta pópó", o rapaz delirou com tudo. Por cá sempre optamos por festejar o aniversário no próprio dia, e tornar o dia dele especial. E dia 28 foi o dia do nosso príncipe.
Apesar de convidarmos sempre só a família mais chegada, acabamos por ser muitos, 40 ao todo. E confesso que este ano com a particularidade de termos mudado de casa recentemente e nem todos a conhecerem a festa tornou-se particularmente cansativa aqui para os anfitriões. Miúdos a correr por todo o lado, num sobe e desce escadas incansável, aqui os papás sempre de olho ora num D. ora no outro mais pequenino, e ao mesmo tempo a mostrar a casa a todos que pediam. Cheguei ao final da noite super, mega cansada. Mas valeu a pena pela felicidade e sorriso estampado nos olhos do meu pequeno rei. Por ele vale sempre a pena.
Há 3 anos que sou mãe. Há três anos que a minha vida mudou para sempre. Há três anos que sou incrivelmente mais feliz. (E vivo muito mais cansada, mas isso não interessa nada!)

27 de outubro de 2015

Em modo...

... amanhã faz 3 anos que me tornei mãe. Três anos! E no meio de noites mal dormidas, de fraldas, leites e papas há uma festa linda para preparar.

23 de outubro de 2015

Tatuagens.


Ando com "apetites"! Gostava de voltar a fazer uma tatuagem. Os requisitos mantêm-se: terá de ser discreta, pequena, num lugar igualmente discreto, que não me canse dela hoje nem muito menos daqui a uns anos, e que tenha significado, claro. A primeira e única tatuagem que tenho é super discreta. Está atrás do pescoço e não me arrependi nunca de a ter feito. Agora, depois de tantas voltas que a minha vida deu, gostava de marcar este momento feliz que vivo. Algo que simbolizasse os momentos únicos que vivi estes anos e a família que estou a construir!
Vou começar a pensar no assunto.

E vai-se a ver...

... e passou uma semana após o meu último post e não há maneira de os narizes tapados, as febres e consequentemente as noites mal dormidas desaparecerem cá de casa. E as costas? Sim, também dava muito jeito eu voltar a ter costas. Costas que não me doessem de cada vez que coloco um pé no chão. Oh vida!

16 de outubro de 2015

Coisas que me continuam a surpreender.

A capacidade de resistência ao sono dos bebés!

Inspirações. Decoração.


Há uma divisão cá em casa, que dá acesso ao terraço, que ainda está por decorar e preencher. Não temos pressa pois não é a sala que usamos no dia a dia, e a bem da verdade não nos saiu o euromilhões para conseguirmos decorar a casa toda de uma só vez. Mas no próximo verão queremos muito usufruir deste espaço e do terraço. Queremos criar um local para receber a família e os amigos e estarmos todos à vontade. Preciso de inspirações. Gostava de criar um espaço interior que depois se prolongasse para o exterior. Simples, prático e que tivesse condições para um churrasco e um mini bar para não andarmos sempre a correr para a cozinha.
Encontro inspirações de babar mas depois é preciso adaptar à nossa realidade! Ah e tirar metade das "tralhas" que encontro na maioria das fotos que tenho como inspirações, pois quero um espaço acolhedor, confortável e amigo das crianças: muito clean e com poucos adereços.

15 de outubro de 2015

Estou viva. Ainda.

Aos 4 meses o Diogo dormia a noite toda. Sem dramas. No seu próprio quarto. Aos 6 meses o Dinis não dorme nem de perto nem de longe a noite toda. Quem disse que aprendemos tudo com o primeiro? Nahhh... eles são tão diferentes... Acorda três, quatro, cinco vezes por noite. Ando de rastos e a chegar ao limite. (O que é isso de limite? Qual o nosso limite?) Já não sei o que é dormir mais de duas horas seguidas. Estou a ficar doidinha!
Não quer chupeta nem biberão. Vou enlouquecer, está visto.
Coisas positivas: o rapaz não chora se estiver literalmente colado à mamã.
Coisas menos boas: não o consigo deixar com ninguém! Anda literalmente há seis meses colado a mim.

14 de outubro de 2015

Eu pelo instagram...


Momentos dos nossos dias.

12 de outubro de 2015

Pormenores que adoro cá da nova casa.


Os registos de nascimento dos meus príncipes. No escritório cá de casa, para conseguir apreciar todos os dias. E babar. Babar muito. Adoro.

9 de outubro de 2015

Há dias (momentos) que não deviam existir.

Hoje é um desses dias. E quase a completar três anos que nasceu a mãe que sou hoje, o dia de hoje foi brindado com o maior sentimento de impotência e desespero que senti até ao momento como mãe. Sinto-me a pior mãe do mundo. Ser mãe de dois não é fácil. E hoje sinto que os meus príncipes mereciam melhor. Melhor do que esta mãe que lhes saiu na rifa. Levaram-me ao desespero. Os dois a chorarem como se os tivessem a matar. Ambos com birras de sono. Eu a não saber para onde me virar. Adormeço um e o outro berra em plenos pulmões a pedir colo. Acorda o primeiro e berram numa sinfonia tal os dois que me levam ao limite e a duvidar da minha sanidade mental. Adormece um, acorda o outro, berram os dois. Horas e horas nisto. Ando com os dois ao colo e as minhas costas estalam. Já não sei o que é ter costas há meses. Não sei mais o que fazer e choro, não aguento e choro. E sinto-me a pior mãe de todos os tempos. Hoje apetece-me bater com a porta e fugir. 

Pessoas desse lado, nem se lembrem de ter um segundo filho enquanto o primeiro não tiver pelo menos três anos e não estiver completamente integrado e a frequentar a escola. Dois bebés a nosso cuidado com idades próximas mas a requerem atenções tão distintas é a loucura. Fica o aviso! Um aviso a quente porque estou desesperada mas aqui fica. Não é fácil! E deve ajudar ao meu estado de loucura, o facto de não dormir mais de 2/3h seguidas há mais de 6 meses… Quero fugir!

8 de outubro de 2015

6 meses. ♥


6 meses de um amor maior. De um amor a quatro e de uma família cada vez mais perfeita. Meio ano. O meu puto mais pequenito já tem meio ano! E tem a sorte de ainda estar aos cuidados da mamã e com isso eu ter completado hoje meio ano de amamentação em exclusivo! Parabéns a nós! Um privilegiado este príncipe! Quando foi do Diogo aos 5 meses menos 1 dia (que nós cá não esquecemos estas datas) eu já estava a trabalhar e ele a beber leite de biberão.
Bem, o Dinis continua um bebé muito simpático, e calmo. Ri e dá umas gargalhadas maravilhosas. E agora com os seus dois dentinhos inferiores fica ainda mais amoroso e eu ando sempre a apertá-lo e a mimá-lo muito. Dá vontade de o encher de beijos a cada segundo.
Como todos os bebés adora atenção. Vira-se para um lado e para o outro com uma pinta e agilidade enorme. Fica na posição de gatinhar, empina o rabinho mas não sai do sitio. E depois resmunga. Pega em tudo e tudo vai no mesmo instante parar à boca. Continua a não querer nada com a chupeta. 
Acorda mil vezes durante a noite e isso está a dar comigo em doida. Procura a mama, mas não mama nada e por isso acho que uma chupeta resolvia o assunto. Mas não há meio de gostar de nenhuma. A ver vamos se com o inicio da alimentação a coisa melhora. É a minha esperança para não enlouquecer.
Procura com o olhar o irmão em todo o lado e mal o vê ri. E isso faz-me sorrir. É maravilhoso de se ver. É um príncipe que veio preencher ainda mais a nossa vida. Parabéns a ele!

Preparação 3.º aniversário!

E pronto, finalmente estamos a começar a preparação do terceiro aniversário do nosso príncipe maior. Os três anos estão quase aí, e no meio de febres, leites, fraldas e muitos mimos estou a tentar organizar e inspirar-me para a decoração da festa. Carros, pistas e corridas são o tema deste ano, e eu já comecei a por a mão na massa para fazer o príncipe feliz! 
Tudo home made, by ML.

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016