28 de fevereiro de 2015

8/52 de 2015

Dizem que tem mãos de artista! :)


E já com quase uma semana de atraso, aqui fica a foto que marcou a oitava semana do ano. O meu artista a espalhar criatividade nos dois minutos que ficou sozinho. Porque a veia de artista é assim, surge e não escolhe hora nem local.

[Uma salva de palmas aos marcadores Giotto bebé, 
onde realmente a tinta das mãos saiu à primeira lavagem!]

"A portrait of my children, once a week, every week, in 2015"

Decoração do quarto de bebé: os stickers chegaram!

Os stickers para o quarto dos meus D's chegaram e estão finalmente colados! E a decoração avança... quando estiver tudo, e tal como me pediram mostro o mundo encantado dos meus príncipes!

Quarto dos meus príncipes.

27 de fevereiro de 2015

Enxoval do bebé. Listas: produtos de higiene.

Este mundo dos bebés é uma verdadeira perdição. Uma pessoa mesmo de repouso fica encantada e perde-se nas compras online. Desta vez, não resisti à mala de maternidade da Mustela. Acho que está um verdadeiro mimo este ano. E o cheirinho dos produtos? Ai o cheirinho... 
No entanto, apesar de não ter resistido à mala, não vou mexer em equipa vencedora, nos primeiros tempos vou optar unicamente pela Uriage. O Diogo reagiu tão bem a esta marca e nunca teve problema nenhum que vou fazer a mesma aposta nos primeiros tempos. 
Hoje com dois anos, o Diogo continua a usar produtos de bebé e vai variando entre a Uriage e a Mustela, por isso cremes a bom preço nesta casa nunca são demais.
Aqui ficam algumas das minhas escolhas.

Mala mustela e produtos incluídos.

Primeiros cuidados Uriage. Adoro!

Produtos e miminhos que não dispenso. (Já disse que os copos da Avent são os melhores do mundo? Ainda hoje uso os que comprei para o Diogo, para congelar sopa!)

Mais mimos e chupetas. 

A ganhar forma... guarda roupa do baby Dinis.

26 de fevereiro de 2015

Números: 34 semanas. (quase) 35 anos.

Hoje fazemos 34 semanas. E nunca me soube tão bem contar semanas e dias, com a calma, a serenidade e a paz que eles merecem. Força Dinis, és o meu orgulho bebé! 

Na próxima semana chega o mês de março, e com ele vem o meu aniversário. Para a semana faço 35 anos. Trinta e cinco, e ainda não acredito como raio é que isto é possível. Como é que deixei de ter 20, 25, 28, 30, 32,… e já vou completar 35? Parece surreal, e caramba, não posso negar que esta contagem começa a pesar. Trinta e cinco anos já é uma idade que impõe respeito, e eu não me sinto nada com (quase) trinta e cinco anos. Prevê-se uns dias agitados, já não chegam as hormonas andarem todas desnorteadas como ainda vou fazer trinta e cinco anos. Deixem-me lá repetir “vou fazer trinta e cinco anos”. Pronto, não adianta não consigo acreditar nas minhas próprias palavras. Trinta e cinco!

25 de fevereiro de 2015

Shopping para a mamã.

A primavera está quase aí e há peças que imploram para vir conhecer o meu armário. Tudo coisas práticas que a primavera vai ser passada com dois príncipes ao meu cuidado. Mas nem por isso quero deixar de aproveitar o ar livre, os passeios à beira mar e o sol. Ai que saudades do sol, do mar,... dos pés na areia!

Camisa. Colar. Capa étnica. Tudo Stradivarius.
Blusão biker. Colar. T-shirt.. Tudo Stradivarius.

24 de fevereiro de 2015

Internamento. Gravidez. Medo. Prematuridade.

Apesar do repouso em casa, algo me dizia que o que andava a sentir não era normal, passadas umas horas da foto da praxe das 33 semanas, rumamos às urgências. O meu “eu” dizia-me para ir, quanto mais não fosse por precaução e nesta fase da gravidez não me permito descuidar de nada. Mas nunca pensei que o resultado fosse o internamento. Nunca. Não sou a pessoa mais forte do mundo, e na altura quando percebi que não iria dormir a casa bloqueei. Bloqueei por pensamentos mais ou menos fúteis, bloqueei com dor no peito de ter deixado o meu Diogo em casa sem um beijinho. Sem um daqueles xi’s que me aquecem a alma e o coração. Bloqueei porque não tinha nada preparado para a chegada do pequeno príncipe Dinis, além da primeira roupinha não tinha mais nada. E que raio de mãe seria eu se não escolhesse e não preparasse a mala com o amor e carinho que tinha feito para o Diogo dois anos antes. Os dois merecem o meu amor na mesma medida, e na minha cabeça eu estava a falhar com este pequeno grande amor. Como é que eu ia preparar a sua chegada e viver a “minha barriga” fechada entre quatro paredes? Bloqueei com as hormonas que não me deixavam pensar, e me confundiam os pensamentos.
Claro que ao mesmo tempo, o nosso coração de mãe nos faz esquecer (ou atenuar) grande parte destas coisas e nos foca no essencial: eu tenho de fazer de tudo para que o Dinis permaneça no quentinho da mamã o máximo de tempo possível. Repouso absoluto. Injeções para a maturação dos pulmões. Medicação e mais medicação. Tive mil e dois pensamentos que me assombraram as primeiras noites, medo, tanto medo que não sei explicar. Podem dizer muita coisa, que com 33 semanas já está um bebé “confortável”, que isto e que aquilo, que há muitos casos de sucesso, e que isto e que aquilo,… mas também há os “não sucessos” … e na minha cabeça só entoam as palavras “O Dinis está pequenino, precisa de crescer mas crescer na barriga da mamã,…” e é isso que eu desejo, que o Dinis esteja bem e que cresça mais umas semaninhas na barriga da mamã. Por aqui, depois do enorme susto, entramos em modo repouso absoluto. Entramos em modo Dinis. E cada dia conta.

19 de fevereiro de 2015

Semana 33. ♥

33 semanas de Dinis. ♥
Força meu pequeno guerreiro sei que vais aguentar mais umas semanas no quentinho e miminho da mamã.

18 de fevereiro de 2015

Mala para o dia do parto: check!

E pronto, às 32 semanas e 5 dias a mala para levar para o bloco de partos, para o Dinis e para a mamã, está pronta. Confesso que era uma coisa que me andava preocupar não ter feito, pois os sustos nestas últimas semanas têm sido alguns. No entanto, e porque nós grávidas somos complicadas, estar a fazer a mala também me fez sentir que estava a apressar as coisas. Uma confusão de sentimentos é o que digo.

Mala para o parto com as coisas da mamã e do Dinis


Primeiras roupinhas


Saquinhos individuais par separar as coisas da mamã e do Dinis

Coisinhas mais fofas para o meu príncipe mais pequenino.


Claro que agora falta a mala da mamã e a mala do Dinis para os dias de internamento mas como ainda me falta comprar umas coisas, adio essa tarefa mais uns dias. 

A mala para o bloco de partos:

  • Primeira roupa do baby D. (body; calça; babygrow, casaco de malha sem pêlo, gorro, meias, fralda descartável, fralda de pano, e uma mantinha) 
  • Camisa de noite, cueca e chinelos, para a mamã, claro!
  • Exames, ecografias e livro de grávida; 
  • Telemóvel e máquina fotográfica.

E às pessoas que me questionam que por ser outro menino vou aproveitar tudo do Diogo, eu respondo: sim vou aproveitar muita coisa, mas… o Dinis tem direito a estrear muita coisa nova. As primeiras roupas, as mantas, as fraldas de pano, os primeiros brinquedos, os kits e as bolsas de higiene, a forra para o ovinho, etc etc etc... foram escolhidos propositadamente para ele. Porque assim faço questão.

Coleção Laranjinha com cheiro a maresia!

E pronto, estou perdidamente apaixonada pela nova coleção primavera\verão da Laranjinha! A sério, uma pessoa olha para estas imagens e só tem vontade de ir a correr ao shopping mais perto e perder-se!
A primeira roupa do Dinis já está escolhida, como mostrei aqui, o babygrow é Laranjinha claro está. Mas esta coleção tem com combinados perfeitos para os primeiros dias do bebé, e estes estão a chamar por mim.
Eis os meus preferidos!


17 de fevereiro de 2015

7/52 de 2015


Esta semana a foto teria de ter como tema o carnaval. Hoje, depois de dias complicados cá por casa, vestimos finalmente o pequeno príncipe para também ele brincar ao Carnaval. Ele é sem dúvida o nosso Peter Pan, o nosso Robin Hood, o nosso tudo. Por ele ganhamos sempre forças. Sempre. E ganhamos o dia quando nos sorri, como só ele sabe fazer. Que sejas sempre feliz, e que a vida te faça sorrir muito como tão bem sabes D.

"A portrait of my children, once a week, every week, in 2015"

Quase 33 semanas.

E é quando começamos a preparar as malas para a maternidade que caímos em nós e percebemos que está quase. Quase a termos mais um príncipe nos nossos braços para amar. Quase a vida a mudar outra vez. Quase a ter uma família de quatro. Quase... está quase... Mas ao mesmo tempo só desejo que o meu pequeno se aguente até, pelo menos, às 37 semanas...  

16 de fevereiro de 2015

Sushi à minha moda.

Sábado foi dia de fazer sushi em casa. Já não me lembro da última vez que o tinha feito, mas sábado tinha mesmo de ser. E porquê? Primeiro porque andava com desejos e sou daquelas que durante a gravidez não consigo confiar e comer sushi fora de casa. Por mais vezes que me digam que é de confiança, tenho medo. E sendo assim, optei por aguentar e não comer. 
Mas o desejo era tanto, que tive mesmo de fazer eu, o meu sushi. Aproveitei que era dia dos namorados e tentei surpreender também a minha pessoa, com um jantar especial. Confesso que o sushi foi “um bocado aldrabado” e por isso o “à minha moda”. Evitei a variedade de peixe que o sushi pede, ficando-me só pelo salmão (ultra mega congelado), e abusei das frutas e legumes para não me sentir tão culpada. Ah, e claro tive um ajudante que tornou esta tarefa num verdadeiro desafio para a mamã! No final, esta experiência foi aprovada por todos, inclusive pelo pequeno Dinis, que se fez sentir (e bem!) a noite toda.



15 de fevereiro de 2015

6/52 de 2015


Banho. A hora do banho continua a ser uma festa. É assim desde que nasceu. Agora, aos 27 meses, a brincadeira que mais aprecia é encher um recipiente com água e, depois esvaziá-lo, cuidadosamente, para outros recipientes. E faz isto vezes sem conta.
A pior parte do banho é a hora de terminar. Porque sejam 5 min, 10 min ou 1 hora nunca é o suficiente e há sempre muito teatro para o tirar de lá.

"A portrait of my children, once a week, every week, in 2015"

14 de fevereiro de 2015

All you need is love ♡

Já sei que o dia dos namorados é todos os dias, ou pelo menos devia ser. Mas a verdade é que a vida nem sempre permite mimos na dose que queremos e achamos saudável. A correria do dia-a-dia é por vezes tão frenética que não nos deixa tempo para respirar e cuidar da relação, na medida que desejávamos. Por isso hoje, além da troca de lembranças entre todos (sim até o baby Diogo teve direito) há muito mimo, muitos sorrisos, e surpresas. A três. (Vá a quatro, que o mais pequenino já se faz notar e bem! – 32 semanas!)
Já disse o quanto adorei o meu presente? O primeiro dia de namorados depois de casados, ah pois é! Estamos uns crescidos.



Logo haverá sushi para o jantar. Feito por mim. A ver como me saio, mas diz que quem sabe não esquece. A ver vamos!

13 de fevereiro de 2015

Para não esquecer.

Estava sentada no chão do quarto do príncipe D. a brincar com uma pista de carros. Ele estava deitado de barriga para baixo a brincar comigo, claro está. Entretanto, fixa a minha, já muito redonda, barriga. Arrasta-se até mim, levanta-me a camisola e dá o beijinho mais ternurento que recebi. Acho que até o mano sentiu o amor com que foi dado. E tem este gesto assim do nada. Ma-ra-vi-lho-so. Se isto não é o melhor do mundo, então não sei o que possa ser.

Enxoval do bebé. Listas: sling e marsúpio.

Há dois anos, quando nasceu o Diogo decidimos que além do carrinho devíamos investir noutro produto para transportar o bebé, algo mais prático e que nos deixasse de mãos livres. São diversas as situações que, por comodidade ou rapidez, não nos apetece estar a tirar o carrinho da mala do carro. Assim, na altura investimos no marsúpio da Chicco Go Black. Não é dos mais baratos (aprox 40-50€), mas revelou-se uma aposta ganha principalmente para o papá. Sim, foi o papá que mais andou com ele, que eu cá andava aflita das costas e o colocar e prender as fitas dava cabo de mim. Mas o papá usufruiu dele, e mesmo assim está novo. Ou seja, por vezes as coisas de boa qualidade são mesmo a melhor aposta. Por isso, já está lavado e pronto para o Dinis.

No entanto, nesta segunda gravidez pensei que além do marsúpio queria investir num sling para mim! Para o ter mais próximo, e aproveitar o meu príncipe mais pequenino, por exemplo enquanto brinco e passeio com o Diogo pela mão. Acho que mais do que na primeira gravidez, desta vez vou precisar de ter 4 mãos, e por isso se conseguir ter as mãos livres para mimar o Diogo, e  ter o Dinis sempre junto a mim, irei andar mais sossegada emocionalmente. E assim, depois de uma intensa pesquisa, muita leitura de comentários, opiniões, ... optei por um sling da Maria Café. Escolhi os dois tecidos, e posso comprovar que o sling ainda é mais bonito ao vivo. Forte, e de boa qualidade. Agora também ele, espera ansiosamente pela chegada do príncipe Dinis.
Espero adaptar-me!



Marsúpio: Chicco
Sling: Maria Café

12 de fevereiro de 2015

Organizando os meus dias, o meu ano. A minha agenda arc 2015.

Mais vale tarde do que nunca, e hoje finalmente foi o dia de completar o meu caderno arc (tamanho A5) para ficar adaptado às minhas necessidades. Este vai ser convertido na minha agenda pessoal 2015. E acho que este ano vou ter uma agenda à altura! Estou maravilhada com a versatilidade deste caderno. Posso acrescentar separadores, bolsas, trocar as folhas de local, colocar post-its. E depois como também comprei o furador, posso eu própria criar o meu calendário mensal, ou semanal. As minhas listas de compras, ementas, e coisas a fazer. Imprimo, furo e siga para a agenda. Uma infinidade de soluções à vista. Para já, e com a ajuda do Pinterest (essa sétima maravilha) criei e imprimi o que acho essencial, para não me dispersar muito. Calendário anual e calendário mensal, organizados da forma que gosto. Também imprimi uma lista de aniversários e de coisas a fazer.
Acho que encontrei uma bela companhia para me auxiliar na minha organização pessoal.



 E o que eu gosto de canetas, e cores e cadernos e coisas giras?! :)

Quarto de menino: as minhas inspirações.

Imagens via Pinterest.
Por cá continuamos na saga da "redecoração" do quarto dos dois príncipes. Os objectivos que tenho de cumprir são:

  • terá de ser funcional;
  • ter um espaço de bebé e um espaço mais de menino;
  • muita arrumação (caixas, cestos,...) para facilmente se arrumar os brinquedos que já começam a ser mais do que muitos;
  • ser confortável à vista e ao toque e inspirar paz, alegria, e bem estar.
Terá de ser o mundo deles... e não o meu. O quarto é o espaço deles e é assim que quero que continue.

11 de fevereiro de 2015

Devo estar louca! Só pode!

Devo estar louca quando tenho o maridão a perguntar-me se tenho algum desejo especial para o dia dos namorados, e também para os meus anos e eu digo que não quero nada, que tenho tudo que preciso! A sério?!

10 de fevereiro de 2015

Shiloh Jolie-Pitt.

Cada vez que me deparo com fotografias da filha (ou será já filho?) de Brad Pitt e Angelina Jolie, não deixo de ficar surpresa. A sua cara angelical e o seu visual marcadamente masculino deixam-me a pensar em muitas coisas, mas principalmente na força dos pais. Porque não me venham com coisas: os pais merecem um aplauso, porque (e pelo que sabemos e vamos lendo) não contrariam os gostos, as tendências, a identificação de género… da pequena. 
Mas a verdade é que o facto de serem um casal tão mediático, que está sempre debaixo das luzes da ribalta, e tão acarinhado… ajuda. Sim ajuda, a esta descomplicação (pelo menos, aparente). Porque tenho a certeza que se o meu D. pedisse daqui a uns tempos para andar vestido de menina, ser tratado por um nome feminino e eu permitisse que fizesse o seu dia-a-dia dessa forma e não o contrariasse, não faltaria gente a dizer-me que a culpa era minha, e que eu é que não sabia educar o menino. Tão certo como eu estar com desejos de MacDonalds a esta hora. 

Bem, mas esta menina nasceu na família perfeita. E pode ser que seja um exemplo para descomplicar aos poucos algumas mentes. Mas e quantos mais meninos e meninas assim haverão por aí, escondidos ou reprimidos?

Fotos retiradas GoogleImages.

Auschwitz: a viagem. (parte 2)

Como já referi aqui, o campo de concentração de Auschwitz I não foi construído pelos alemães. Era digamos, que um quartel do exército local que foi  ocupado pelos nazis. Estes fizeram dele um dos seus centros administrativos e aproveitaram parte das instalações para servir de campo de concentração. No entanto, as condições em que viviam os judeus eram péssimas (posto isto não vou ter adjetivos possíveis que caracterizem as condições em que os judeus viveram no campo de concentração de Auschwitz - Birkenau II que falarei num outro post). 

Condições... ou a tremenda falta delas...

Documentos originais dos prisioneiros...
Não faltam também provas, milhares de provas, milhares de objetos que embarcam em si mesmos o terror que milhares viveram e sofreram. Objetos carregados de sentires. Objetos pesados, como pesada foi a história dos seus donos. Aos judeus, foi-lhes tirado tudo.  Entravam no campo, e imediatamente eram despidos de tudo, desde os bens materiais até à sua dignidade. 
Eram-lhes incutida uma falsa esperança sobre o facto de aquilo ser uma temporada de trabalho e que no final todos os seus pertences lhes seriam devolvidos. Com esta falsa esperança, milhares de judeus marcaram religiosamente os seus pertences com nomes e moradas. Pormenores que avivam a malvadez do que aconteceu. Que dão força a um sentimento escuro, pesado e macabro que envolve toda a triste história do holocausto.

Malas... identificadas...

Vestuário de bebé, milhares de óculos e pertences pessoais.... Vou me conter e não mostrar fotos das centenas de rolos gigantes de cabelos... milhões de fios de cabelos.. transformados em roupas, tapeçarias,...
Se pensarmos que os nazis cientes da aproximação dos Aliados, em determinado momento deitaram fogo aos fornos, aos pertences pessoais, ao próprio campo... numa tentativa de não deixar vestígios e "enganar" a História... e que mesmo depois disso se encontraram milhares e milhares de objetos pessoais, conseguimos ter uma pequena ideia do inferno que ali se viveu, e da quantidade de vidas que se perderam. Dói só de pensar.  
Várias raças, várias nacionalidades levadas para o campo... Ao lado direito uma das forcas do campo...

Absurdos...

9 de fevereiro de 2015

Publicidade e blogues.

Não tenho nada, mas nada contra a quem ganha a vida ou simplesmente alguns bens fazendo o mais diverso tipo de publicidade no blogue. No entanto, não posso deixar de sentir que quando em exagero me faz não voltar, ou voltar cada vez menos, ou ler o título e meia dúzia de linhas e ver que é (mais uma vez) publicidade e sair. Confesso que já descobri bons produtos, que testei e fiquei fã lendo posts publicitários. Mas foram mais as vezes que simplesmente fechei o browser. Porque vou à procura de uma partilha sincera de ideias sobre diversos temas que me interessam, vou à procura de sentires reais, de partilha de experiências sobre algo que estou a pensar, a viver, a sentir, e encontro ideias feitas, linhas pagas, que não me devolvem o que procuro: autenticidade. 

Carnaval de Ovar.

Depois de uma semana complicada aqui por casa, ontem (apesar do muito cansaço) não resisti em pegar no meu pequeno Diogo e ir com os avós ver o Carnaval das crianças em Ovar. A verdade é que estive quase duas horas sentada no chão, na beira de um passeio e hoje quase não me mexo, tal são as dores nas coxas e ancas. No entanto, o pequenino adorou a festa: música, crianças, cores, serpentinas, e muitos sorrisos. Valeu a pena, por ele. Às vezes sinto, que esta gravidez está a passar tão, mas tão rápido que tenho mais do que nunca de dar atenção ao Diogo, de fazer coisas diferentes, de mimar ainda mais, porque sei que mais umas semanas e por mais que queira estar bem, vou estar cansada e muitas vezes sem a paciência que ele merece. Tenho medo de não estar à altura.

7 de fevereiro de 2015

5/52 de 2015



Uns dias atrasados mas aqui fica a foto que marcou definitivamente a minha quinta semana do ano. O meu pequeno príncipe a ajudar o melhor papá do mundo no "making of" da sessão fotográfica da mammy e do Dinis, relativa às 30 semanas. Este rapaz preenche o meu coração de uma forma que dói. Ser mãe é definitivamente avassalador.

"A portrait of my children, once a week, every week, in 2015"

6 de fevereiro de 2015

Hoje é o dia.

E depois há dias em que nos apercebemos (ainda com mais força e convicção do que em todos os outros dias) que não podemos ser "super" em tudo. Super mães. Super mulheres. Super donas de casa. Super filhas. E sentimo-nos péssimas com isso.

5 de fevereiro de 2015

27 meses. E chegou o antibiótico.

E aos 2 anos e 3 meses entrou cá em casa o primeiro antibiótico para o príncipe Diogo. Até à data tivemos a tremenda sorte de nunca ter precisado de nenhum cuidado médico, mas esta semana andamos de coração pequenino. O que dói vê-lo assim.

2 de fevereiro de 2015

Decoração do quarto de bebé: finalmente começou!


Para já são só pormenores, quando toda a decoração estiver mais avançada partilho o resultado final. Mas o pontapé de saída está dado, para a renovação do quarto dos príncipes! Oh yeahhh!

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016