30 de novembro de 2015

Porque o Porto é lindo.


E as manhãs de fim de semana sabem sempre muito melhor quando sem vírus, tosses e ranhos, conseguimos sair e simplesmente apreciar a nossa cidade.

[Fotos tiradas num solarengo fim de semana de novembro]

Venha a nós o Natal.

E como o Natal é quando uma mulher quer, no meio do caos que tem sido os nossos dias, resolvi mimar-me, só porque sim. 
Duas bolsas Tous para ver se a minha mala fica mais organizada. Lindas. Só para mim. Porque mereço.

29 de novembro de 2015

...ites

O fim de semana passado... otites. Este fim de semana... conjuntivites. O meu príncipe mais velho está a ser um guerreiro. E nós continuamos cansados. Muito. Nem imagino como o meu pequeno se sente, com tantos médicos, urgências, e antibióticos.
No entanto, aproveitamos mais um fim de semana em casa para fazermos a árvore de Natal. Por isso nem tudo é mau. Ah, e o Porto ontem ganhou, e o bebé de 7 meses mais lindo do mundo tem conseguido escapar a todas estas viroses que o mano tem trazido. Talvez seja por continuar um agarrado à mama da mãe, ou então não. Por isso, no meio do cansaço há ainda muitos motivos para sorrir.
Bom resto de domingo!

21 de novembro de 2015

Vira o disco e toca o mesmo...

... disco das viroses! Foi preciso três anos, e uma entrada na escola para andar todasssss as semanas doente. Cansada. Muito cansada, é como me sinto.

18 de novembro de 2015

Blackfish the Movie.


Estes dias vi este documentário sobre a vida das orcas em cativeiro. É de 2013 mas só agora o consegui ver. Fiquei ainda mais repugnada com a facilidade e o desprezo com que o Homem captura, e se apropria de animais para pura diversão. As orcas são animais gigantes, lindos, e já se provou serem sentimentais, com sentido de família e inteligentes. Muito inteligentes.

Fica aqui a sugestão, vejam este documentário onde a sua principal história se centra na orca “Tilikum” capturada e retirada do seu habitat e do aconchego da sua mãe, de forma bruta ainda muito nova e levada para um parque de diversões. O famoso SeaWorld. Claro que não se adaptou. É sujeita a torturas desde 1983, data em que foi capturada. Já foi deixada em tanques escuros, por mais de 12 meses, em tanques mínimos para o seu tamanho e que não lhe permite a mobilidade que precisa, ... neste anos todos de cativeiro, já matou três treinadores. E de cada vez que o faz, o parque alega que foi descuido dos treinadores, e nunca culpa das condições anti-natura, e da violência física e psicológica a que a baleia está sujeita há mais de 30 anos! Chocante.


Para pensarmos. 

Fica aqui o trailer.

14 de novembro de 2015

Pray for Paris


Afinal existem sextas feiras 13. Medo muito medo é o que eu sinto, do agora e, principalmente, do amanhã.

Fazer e desfazer malas.

Mais chato do que desfazer as malas após as férias ou viagens, é desfazer as malas depois de cancelar a própria da viagem.
Sim, era só um fim de semana, mas era o primeiro fim de semana de viagem a quatro. Eu estava tão ansiosa e entusiasmada. E, ainda por cima está um sol maravilhoso para passear. Já disse que estou farta de coisas terminadas em "..ites" e ranhos, e tosses e febres?! Caramba. será que nas letras pequeninas do contrato que assinamos para a escolinha vem lá alguma clausula de que estas coisas estão incluídas no pacote?! Haja paciência e o Inverno só agora vai começar.

12 de novembro de 2015

Mudar de casa. Criar um lar.

Custou-me mudar de casa este verão. Por diversas razões, mas principalmente pelas lembranças (muito) boas que o nosso apartamento me deixou. Os D’s nasceram lá e tenho quase a certeza que só se lembrarão dele pelas fotos que vou fazer questão de lhes mostrar. O apartamento tinha (quase) tudo que idealizava. Mas era um T2 e sentimos que mais cedo ou mais tarde iríamos ter de mudar. Mas não foi fácil tomar essa opção. Para mim não foi de todo simples mudar, porque sou mega sentimental. E ainda hoje tenho muitas mas muitas saudades do nosso apartamento. Claro que agora na moradia temos (muito) mais espaço, um terraço enorme, quartos para tudo e mais alguma coisa mas... não me senti bem aqui logo à primeira. E só agora após 3 meses da mudança é que começo a sentir a casa como o nosso lar. Aos poucos começa a ter o nosso cheiro, as paredes começam a contar lentamente a nossa história e eu quero acreditar que vamos ser muito mas muito felizes aqui também. Estamos a fazer por isso.
Comprar casa é fácil comparado com a dificuldade que é criar um lar.

Quarto de brincar.
Escritório

Sushi.

https://www.pinterest.com/
Ando a ressacar com falta de sushi. Já não me lembro da última vez que comi. Algo de muito anormal se passa comigo, só pode. 

10 de novembro de 2015

Política. Portugal e nós.

Estou em casa. Televisão sintonizada na Sic Notícias. Sou masoquista só pode. Mas ao mesmo tempo não consigo ficar alheada ao que se está a passar com Portugal. No entanto, já não consigo ouvir uma tal de Catarina Martins, uma não sei quantas Mortágua, e outros tantos. Tanta utopia. Não consigo conceber um ataque destes ao poder e um Costa primeiro ministro. Não consigo. Dizem que o governo que ganhou as eleições cai hoje, sem sabermos o que vem a seguir. Assusta-me isto tudo. Esta ganância de poder. Este "umbiguismo". Mas assusta-me mesmo. Onde está o botão "Não gosto, quero fugir daqui?". Pela primeira vez na vida, aos 35 anos se me surgisse uma boa oportunidade, pegava nos meus e fugia disto.
Não gosto.

9 de novembro de 2015

Verão de S.Martinho.


Ontem fomos passear pelo (nosso) Porto. A quatro. E soube-nos tão bem! Confesso que por vezes sair de casa a quatro não é fácil, e entre lanches, roupas, fraldas, chapéus, agasalhos, mudas de roupa, etc... fico logo cansada e ainda não pus os pés fora de casa! Isto tudo, depois de uma noite mal dormida é dose! Mas depois... depois da neura me passar e entrar no carro, fico logo satisfeita por termos optado por sair e não termos, ficado pela solução mais fácil, tudo em casa e de pijama.
O Porto está lindo, e sempre cheio de vida. E então com manhãs de sol, fica maravilhoso!

8 de novembro de 2015

7 meses. ♥


Hoje fazes 7 meses meu bebé feliz. Continuas uma simpatia. Ris, sorris para toda a gente que te dá atenção. Iniciaste a alimentação complementar, depois de 6 meses de amamentação exclusiva e não estás a achar grande piada comer coisas à colher. Continuas a não querer biberão nem chupeta. E acordas de noite algumas vezes à procura da mamã. Quem disse que aprendíamos tudo com o primeiro filho? Vieste provar que quem disse isso estava redondamente enganado.
Continuas a ser um privilegiado e a ter a mamã em casa contigo. A mamã também se sente uma sortuda por, desta vez, ter conseguido uma licença mais alargada para cuidar de ti.
Gostas de ficar na posição de gatinhar. Mas ainda não gatinhas. Rebolas pela casa toda, todo feliz. Não paras quieto. E adoras ir buscar os legos do teu irmão para irem logo diretos à boca.
És um bebé feliz, que veio tornar a nossa vida ainda mais colorida e preenchida. Somos muito mais felizes contigo bebé Dinis. Obrigada. ♥

6 de novembro de 2015

Agenda 2016.


Também já tenho a minha! Simples, simples e prática, para andar todos os dias comigo. Mais o bloco "Great Ideas" que me tem acompanhado sempre. Os meus aliados de memória.

5 de novembro de 2015

Desejos para o sapatinho.

https://www.pinterest.com/
A vida corre lá fora. E eu continuo a ter o prazer de estar em casa com o meu bebé mais pequenino, neste tempo de maternidade só a dois. Um pequeno, grande luxo. Mas a vida continua a correr lá fora. Não tarda e estamos no Natal. E como eu gosto do Natal. Gosto de decorar a casa, de escolher os presentes e de os embrulhar. Gosto das tardes e noites de manta no sofá, caneca de chá ou de café, chuva na janela e muito mimo do rapaz cá de casa. Ah ok, o que é isso de estar no sofá? O que é isso "descansar"? De saborear momentos a dois sem horas marcadas... Já não me lembro. A sério, já não me lembro. Por isso, assim em jeito de primeiro desejo de natal queria voltar a ter noites bem dormidas. Noites de 8 horas de sono. E tempo, um bocadinho mais de tempo para mim e para nós dois. Estrelas, escrevam isto.

4 de novembro de 2015

E a baba ao vê-lo de bata?


Nós mães não batemos bem. A sério. Depois de parirmos nunca mais voltamos a ter as hormonas reguladas. Essa é que é essa. Não há nada a fazer.
Então custou-me horrores ter de tomar a decisão de o colocar na escolinha este ano e babo-me ao vê-lo de bata?!!! 

O dia chegou.

Estou cansada de ter o cabelo curto. Desgraceira feita aqui. É tudo muito bonito. Gosto de me ver e tal... mas não dá para fazer nada com ele. Nem prender. Nem ganchos. Nem nada. Só gosto de ver completamente solto. Sempre igual. Buáhhh...

Fitas. Tenho de experimentar fitas. Qualquer coisa.

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016