31 de julho de 2016

Livraria Lello. Onde a magia acontece.





Está cada vez mais bonita. Cada vez mais um ícone da cidade. Não conheço muitas livrarias com esta história, com esta arquitectura então não conheço nenhuma. Esta é, sem dúvida, a mais bela livraria que conheço. E é impressionante a quantidade de turistas, e não só, que todos os dias a visita. É incrível como esta livraria em particular, e a cidade do Porto em geral estão tão na moda! Quem viu e em que vê agora a baixa da cidade, das ruas despedidas de gente, à multidão de pessoas por todo o lado, todos os dias. Em menos de meia dúzia de anos o Porto mudou. Está agora muito mais apetecível, cheio de lugares para explorar e outros para revisitar.

R. das Carmelitas 144 4050-161 Porto, Portugal

30 de julho de 2016

Conversas aos 3 anos.

D. - Onde vamos mamã?
ML - Vamos entrar naquela sapataria.
D. - Porquê?
ML - Porque a mamã quer comprar umas sandálias.

Já dentro da sapataria. O pequeno D. pega nas primeiras sandálias que lhe aparecem.

D. - Mamã, são estas?
ML - Não.
D. Oh, então quais são?
ML - Não sei filho, tenho de ver.
D. - Então se não sabes vamos mas é embora!

Ser mãe de rapazes, também, é isto: filhos com nenhuma apetência para andar a ver lojas que não sejam lojas de brinquedos. Quero ver quem me vai fazer companhia na ida às compras! 

28 de julho de 2016

Pokemon Go. Sim ou não?

Sim instalei o jogo. Não sei o nome de nenhum Pokemon, nem sei a história destes bichinhos famosos que saltaram de repente para as primeiras páginas de jornais e revistas. Mas sei que eles andam aí. E são muitos! Sim instalei para ver o que era e conseguir ter uma opinião sobre esta moda. Pensei que não ia gostar, mas a verdade é que no pouco tempo livre lá ligo o jogo e vou conhecendo tanto os Pokemon's como os recantos, murais, e sítios da minha cidade que até então me passaram despercebidos. Sou a ML, e tenho 44 Pokemon's. Muito prazer.

Ah e gosto de me rir sobre as teorias da conspiração sobre a CIA estar por detrás deste jogo na tentativa de nos espiar até dentro de casa. Really?!

25 de julho de 2016

Organizar fotos.

Já perdi a conta aos Gbytes de fotos que tenho. Acho que por falta de tempo, não consigo limpar e organizar as pastas como gostaria e algumas fotos vão ficando mesmo que não interessem nem ao menino Jesus. E essa falta de tempo para destralhar fotos custa espaço, muito espaço tanto no pc como em discos externos. Mas isso são outras histórias e um dia destes debruço-me sobre o tema desta necessária organização de fotos: de máquinas diferentes, do telemóvel, etc... Como organizar tudo de forma eficaz e sem perder muito tempo? Quais os melhores programas e apps? Dicas aceitam-se. 
Mas estava eu a falar de fotos, e hoje perdi-me em memórias a descarregar as fotografias dos últimos meses que ainda estavam no cartão da máquina. E caramba, cada foto tem uma história e transporta-nos para dias e momentos tão precisos. Tão mas tão bom, recordar e eternizar sentires!




1. O baby D. a dizer olá a toda a gente. apenas porque sim. Porque ele é assim, em qualquer lugar sempre de sorriso na cara e a meter conversa. 2. Os dois traquinas a brincar. juntos. Como gosto de ver sem choros, nem guerras de brinquedos. 3. O meu D. crescido, concentrado e feliz apreciar e a descobrir a nossa cidade.

24 de julho de 2016

Registar momentos.

Tenho a sensação que não paro para registar as gracinhas, as descobertas e conquistas do mais novo comparativamente com o que fazia com o D. mais crescido. O tempo sem dúvida é muito menos, mas isso não pode servir de desculpa. Quero lembrar-me para sempre da boa disposição constante do meu pequeno Dinis, do teatro que faço para ele comer a sopa (coisa que nunca fiz com o Diogo). Não me quero esquecer que adora fruta, que come e petisca de tudo (menos sopa!) como gente grande. Que com 15 meses quer comer de colher e garfo sozinho, que dança a cada música que ouve, que está sempre a bater palmas a cada conquista, que começa a querer tudo mas tudo que o teu irmão tem. Quando lhe pergunto “o Dinis é um menino da...” ele responde de sorriso na cara: “...da mamã”. E ri-se. Ri-se muito este meu filho. É um despachado com tudo, começo a pensar que os segundos crescem bem mais rápido do que os primeiros e não há cá redomas de vidro. Sobe e desce sofás, cadeiras e tudo que estiver à mão. Adora colo e ainda mama, coisa que nunca imaginei que viesse acontecer! Já vai querendo dizer algumas coisas: “mamã”, “papá”, “já tá”, “papa”, “água“, “pata” (obviamente referindo-se à Patrulha Pata que reina cá em casa). É um bebé que veio colorir mais e mais a nossa vida com a sua boa energia e sorriso sempre pronto. Podia dormir melhor lá isso podia. E cá para nós, deixar de mamar também era uma boa cena, pois confesso que começo a ficar cansada. Mas sei que quando isso acontecer vou ficar nostálgica e triste por perder esses momentos tão nossos. Dualidades tão típicas de mãe.

21 de julho de 2016

O que muda com os filhos? Ou coisas complicadas de gerir quando passamos a ser mãe de dois.

Os filhos mudam tudo. Todos sabemos. Mesmo aqueles que ainda não são pais nem aquelas que ainda não são mães sabem que um filho muda tudo. Podem pensar que não, que isto, que aquilo, porque esta teoria blá blá e a outra blá blá... e que comigo vai ser diferente e blá blá blá... Mas um filho muda tudo. Ponto. Mudam as prioridades, mudam as rotinas, muda a nossa visão sobre mil e uns aspetos da vida diária. Ganhamos muita coisa, perdemos outras. Mas falta de tempo para mim como mulher, e para "nós" cá de casa como casal, são as coisas que mais me custam nesta coisa da maternidade. Essa falta de tempo, e sem a menor dúvida, foi bem mais notória cá em casa, quando passamos de 1 para 2 filhos. Aí a coisa complicou-se a sério. E muitas são as vezes que me sinto perdida, e não sei o que fazer mais para ganhar de novo esse tempo. Se antes do segundo filho, deixava algumas vezes o D. a dormir em casa dos avós, agora com dois sinto-me culpada em fazê-lo, sobrecarregar os meus pais com os dois à noite quando já passam o dia com eles, parece-me excessivo e abusivo. Nunca o fiz. Ou fica um ou fica outro. E contam-se pelos dedos de uma mão as vezes que o fizemos. Mas desta forma, lá está, nunca estamos só dois. E esta gestão casal\filhos\família\momentos-a-dois é das coisas mais complicadas de gerir. Quais grandes empresas quais quê, esta gestão familiar é "o" grande desafio. 

19 de julho de 2016

As estações do ano aos 3 anos.

Acho giro os raciocínios que os miúdos começam a ter. Adoro as conversas, a noção prática de lógica, o complicar ou o descomplicar das coisas, a noção do espaço e tempo... E são variadas as vezes que mesmo antes de dormir, já deitado na cama que o D. me brinda com algumas conversas vindas do nada:

D. - "Mamã, estamos no verão não é?"
ML - "Sim, filho estamos no verão. Está muito calor."
D. - "Pois. E depois vem o outono, e caem as folhas das árvores."
ML - "Sim filho, é isso mesmo. Mas ainda falta, temos de aproveitar o verão."
D. - "Olha e depois vem o inverno e muita, muita neve. Como é que vamos fazer se eu não tenho trenó?"
ML - "Pois!"   

Como evitar picadas de mosquito?


Bem, a verdade é que não sei como evitar ser picada por mosquitos. Ainda agora o calor começou e estou constantemente a ser atacada. Só comprova que sou um doce de pessoa, nem os mosquitos me largam! :) Já tentei de tudo, menos repelentes que impliquem passar na pele, isso não consigo, quando muito o que faço é passar um pouco nos lençóis, em zona não próxima da cara. Faço-o também nos lençóis dos dois príncipes pequeninos cá de casa: uso o roll on anti mosquitos da Chicco na parte de baixo dos lençóis. Mas quer-me parecer que o mais velho sai a mim, até nesta coisa das picadas. Sendo assim, e além de todos os apetrechos anti-mosquitos que compro todos os anos, este verão aderi às pulseiras anti-mosquitos, Comprei quatro de duas marcas distintas e vou equipar a malta cá de casa com elas, eu incluída. A ver vamos se a coisa resulta! A época da caça aos mosquitos está oficialmente aberta!

17 de julho de 2016

Ir de férias mais leve.


Quatro semanas para as férias. É isso, quatro! E eu já estou em contagem decrescente. Preciso tanto de descansar, de esvaziar a cabeça e sobretudo preciso de me organizar mentalmente, preciso de me reencontrar. Os dias têm sido tão preenchidos, tão cheios de coisas para fazer, de assuntos para tratar e de outros que teimam em não se desenrolar mas que preenchem e cansam a mente, de uma forma cada vez mais cansativa e avassaladora. E isso não pode acontecer. Preciso de boas energias, da mente livre, preciso de sorrisos e leveza na minha vida. Sendo assim, e porque hoje é domingo e eu gosto de recomeços e de traçar metas, criei uma to do list para ser realizada nos próximos dias e terminada antes das férias. Coisas que dependem de mim, e que me vão fazer ir de férias mais leve. E de leveza é o que uma pessoa precisa para estrear o bikini novo! :)

11 de julho de 2016

O euro 2016 é nosso. Obrigada Portugal!






Muito mais do que um jogo. Muito mais do que uma vitória. Um orgulho nacional! Obrigada Portugal. Somos grandes e unidos somos melhores! Acreditar sempre!

10 de julho de 2016

O esplendor de Portugal!


Por cá já não se pensa em mais nada. Hoje vamos fazer História! Eu acredito, cá em casa acreditamos, tal como pelo menos mais 11 milhões! Força Portugal, chegou o dia!

9 de julho de 2016

A logística de uma ida à praia com dois, mete medo!


Este ano ainda não nos atrevemos a ir à praia. Só de pensar na logística necessária para usufruir de 2 horas de praia, com os dois pequenos até tremo! Sei que tenho de ganhar coragem para num destes fins de semana irmos os quatro, no entanto para já temos tentado usufruir do nosso terraço, e os dois têm delirado com a piscina. Bem menos confuso e menos stressante para nós pais. Mas sim tenho de ganhar coragem e não deixar os dias de praia só para agosto.

6 de julho de 2016

Portugal na final do euro 2016! Que orgulho!

Portugal 2 - 0 País de Gales

4 de julho de 2016

Há uma linha que separa...

... a realização dos teus sonhos e o medo enorme de falhar. E eu quero estar do lado certo, do lado da realização, do lado da vontade de arriscar e de acreditar. Um dia será "o" dia. Até lá é agradecer tudo e lutar sempre.

2 de julho de 2016

A onda à volta do Quaresma.

Sou portista. Simpatizo com o Quaresma como simpatizo com mais meia dúzia de jogadores do Porto e da seleção. Gosto do facto do Quaresma ser portista, claro que gosto. Tem pinta o rapaz, claro que tem. Mas não percebo esta onda recente à volta dele, tanto histerismo, tanto alarido e corações despedaçados. O rapaz já representou a nossa selecção vezes sem conta, o rapaz foi posto de lado no Porto e ninguém se indignou, e agora, instalou-se a loucura à sua volta. Vá-se lá entender.

Viajar com crianças e conhecer o mundo.

São muitas as vezes que olho para os meus bebés e vejo que já não são assim tão bebés. O Diogo está um menino. Cresceu imenso este ano, os 3 anos fizeram dele menos bebé e muito mais rapazinho sem dúvida. Começou finalmente a fazer-se entender oralmente e a fala pouco a pouco começou aparecer e a desenvolver-se. Com a ajuda certa e o incentivo sempre presente não tarda e está um comunicador perfeito. O Dinis está um despachado, corre a casa toda, imita o irmão em tudo e aos 14 meses ainda mama muito, mas o sono começa a estabilizar, finalmente! E a verdade, é que vejo as coisas a começarem a acalmar no que se refere a rotinas a 4, vejo-os a crescer e só me apetece pegar em mochilas e viajar a quatro por esse mundo fora. Conhecer gentes, sítios novos, conhecer o mundo com eles. Penso tanto nisto, como penso que a partir dos 6 anos a obrigatoriedade da educação escolar durante tantos e tantos anos, não nos permitirá estas viagens sem tempo, sem pressas. 
Sonhos.

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016