29 de novembro de 2016

Pai Natal... oh Pai Natal..?

Além das mil e duas coisas que os rapazes cá de casa querem da Patrulha Pata, bem que podias deixar também belos presentes aqui à mamã. Por exemplo, estas duas coisinhas deixavam o meu sapatinho a pular de felicidade!


Ai frio frio...

... íamos tão bem lançados sem viroses, nem "ites" cá por casa... e a tosse e a febre resolveram aparecer sem serem convidadas. Temos o mais pequenino com uma infecção pulmonar e tão em baixo que nem parece ele... dá dó só de olhar. Não larga o colo e só quer mimo. Temos o mais velho com febre e tosse... e nós só desejamos vê-los sorrir novamente. Os próximos dias são dias de hibernação cá por casa. Que tudo passe logo, logo.

26 de novembro de 2016

Desabafos e sentires de 2016.

Estava para aqui a pensar, com os meus botões, em todas as mudanças que 2016 nos trouxe, a nós como família de quatro. Depois de 2015 nos ter brindado com o nascimento do nosso segundo bebé, com uma mudança de casa, e me ter proporcionado um ano inteirinho de mamã a tempo inteiro (e que agradeço todos os dias por ter conseguido acompanhar os meus príncipes na primeira fila, durante tantas e tantas etapas importantes. Soube-me tão bem, que continuo a não me arrepender por um segundo que seja, de ter pedido a licença de maternidade alargada. Um privilégio.)
Bem mas estava para aqui a pensar em 2016,... que começou com o meu regresso ao trabalho depois de 12 meses em casa. 2016 ficou marcado pela decisão conjunta de vendermos a moradia para a qual nos tínhamos acabado de mudar e que dizíamos ser para a vida. Penso muitas vezes que esta nossa decisão esteve relacionada com o meu regresso à vida real, ao facto de voltar a trabalhar fora de casa das 8h às 18h todos os dias. Deveu-se ao facto de não termos tempo para usufruir da casa, ao desconforto que uma casa grande nos provocava nesta correria do dia a dia (tudo era demasiado longe, tudo custava a fazer e demorava tempo -- coisa que não tínhamos. O stress de ver crescer dois bebés numa casa que não nos era confortável e prática, e segura talvez. Escadas e mais escadas, o meu cansaço acumulado, foram trazendo certezas que não nos estávamos a adaptar ao que achávamos que era o nosso sonho.) 2016 trouxe-nos essa realidade, que os sonhos por vezes podem mudar, que podem deixar de ser os nossos sonhos. Nós, tivemos a coragem de mudar, de pensar em nós, no nosso bem estar, como casal, como família. Fomos uns corajosos e eu tenho imenso orgulho nisso. Vendemos a casa no espaço de poucos meses (entretanto alugamos um T3 maravilhoso), e embarcamos no sonho de encontrar o apartamento ideal para nós: grande, prático, de um só piso e novinho em folha, com tudo escolhido por nós e para nós. E esse apartamento vai aparecer, logo, logo. ♥

Black Friday…

... passou-me totalmente ao lado. E continuo com zero prendas de Natal compradas e pensadas. Mas nem tudo está perdido, já tenho a lista de pessoas que irão ter o privilégio de ter um presento nosso feita! 37 sortudos, é o que é!

20 de novembro de 2016

Natal: a época mais bonita do ano.

Adoro o Natal, mas é que adoro mesmo. O cheiro a doces, a árvore, as luzes, a decoração, .. as casas ficam cheias de luz e muito mais confortáveis. Os sorrisos dos miúdos, a simpatia das pessoas e o brilho nos olhares. É uma época mágica sem dúvida. Mas... este ano ainda não há árvore montada, não há lista de presentes feita, não há um único presente comprado, nada... o Natal ainda não chegou cá. 
Ando sem tempo, as semanas e os dias de trabalho têm passado a correr. Por vezes sinto-me a sufocar, porque a gestão familiar não é fácil. E os dias não passam de uma corrida em contra relógio. Ou sou eu que não me organizo e não tenho tempo para quase nada (muito menos tempo para mim, e para com\e com a minha pessoa) ou idealizo\planeio fazer muito mais coisas do que aquelas realmente possíveis e daí surge a minha frustração. Há que gerir expectativas pessoais e esse é um dos pontos que tenho que melhorar. 

12 de novembro de 2016

Dos dias. Do Natal e dos presentes.

Caramba, que o tempo voa mesmo e já não escrevo por aqui há mais de 2 semanas! Como é possível?! As semanas têm sido cansativas e os dias fogem uns atrás dos outros.
Bem, mas planos para este fim de semana: planear a lista de amigos\família que irão receber uma lembrança nossa este natal (preciso de me começar a orientar) e "escrever" as cartas ao Pai Natal dos dois pequenos príncipes cá de casa (os catálogos de brinquedos já andam a fazer as delícias cá de casa mas é preciso por um travão, pois querem tudo e mais alguma coisa e depois o raio dos brinquedos "da moda", por exemplo tudo que esteja relacionado com Patrulha Pata não valem 20€ e custam mais de 100€ -- um verdadeiro exagero que não sei como o Pai Natal vai descalçar esta bota. A ver vamos!

1 de novembro de 2016

Halloween 2016





E lá fui eu com os dois pequenos e com a priminha e amiguinhas de porta em porta gritando "doçuras ou travessuras". Foram várias as portas que se abriram aos pequenos diabretes para enorme felicidade deles. Pessoas que os receberam cheias de sorrisos e guloseimas. Foi bom ver vizinhos, pessoas desconhecidas a entrar na brincadeira! Muitos receberam-nos fantasiados também, com as casas decoradas, campainhas com sons assustadores e sacos já preparados cheios de doces.
Esta noite de halloween só muito recentemente é que entrou nas nossas rotinas, muito por culpa dos desenhos animados, das priminhas e de toda a publicidade que agora é feita em torno deste dia. A avó fez uns sacos maravilhosamente assustadores para guardar os doces e umas capas de diabretes e lá foram eles todos felizes. A verdade é que é mais uma noite para eles de divertirem e andarem na rua. O meu diabrete mais velho delirou com tudo, o mais novo também andava lá no meio deles e não sabia bem ao que andava mas ria-se com tudo e imitava os outros. Por cá esta noite é assim, desde há 2 anos, riso, brincadeira e saídas nocturnas pela vizinhança.

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016