14 de dezembro de 2017

Parques, animais e crianças.





Começo já por dizer que gosto de animais e podia também acrescentar que gosto muito mais de crianças mas acho que uma coisa nada tem a ver com a outra. Gosto de animais e não tenho nenhum animal em casa, por mil e duas razões entre as quais: não tenho tempo, nem o espaço que acho que merecem.
Tenho sim dois filhos que gostam de correr e brincar tanto dentro de casa como na rua. E meus senhores, o difícil que é encontrar um parque infantil limpo, sem cocós e xixis e pêlos de animais. Credo! Enquanto não formos uma sociedade maioritariamente composta por gente e donos de cãezinhos civilizados, que limpam o que sujam, eu continuo a ser fã incondicional dos parques infantis interditos a animais. Sou eu e são os meus pequenos que podem andar pelo chão sem estar constantemente a ouvir a mãe reclamar. :)

13 de dezembro de 2017

3 séries Netflix.

Demorei a entrar no espírito Netflix, mas agora não quero outra coisa! E a verdade é que é um vício: ter uma imensidão de séries, filmes e documentários sempre prontos em qualquer hora em qualquer lugar sem me preocupar com download e legendas é coisinha para me deixar feliz.
Estes dias tenho estado por casa, uma crise de sinusite aguda e uma infecção respiratória e dores de garganta têm me deixado de rastos, e a netflix tem me feito muita companhia. Mas a verdade é que as minhas opções no que toca a cinema e televisão nunca são as mais óbvias. Aqui ficam 3 exemplos do que ando a ver. Podia ter-me dado para pior, certo?

Mulheres Assassinas com Piers Morgan | Netflix 



É uma série documental e saber que isto é real torna tudo ainda mais assustador. O jornalista Piers Morgan entrevista um conjunto de mulheres com carinhas larocas mas que cometeram crimes horrendos. Só o primeiro caso da primeira temporada deixou-me parvamente incrédula. Uma jovem de 16 ser capaz de magicar um crime onde assassinou mãe e dois irmãos menores, o pai não foi por sorte, é algo que ultrapassa a barreira do que consigo perceber. Além de conhecer os casos e desta curiosidade mórbida eu gosto é mesmo de perceber o caminho seguido pela policia e pelas investigações e tentar decifrar a mente destas pessoas capazes destes crimes que as nossas mentes se recusam sequer a conceber quanto mais perceber.

Stranger Things | Netflix 


Gosto de séries e filmes sobre o sobrenatural. Mas não gosto de monstros e cenas com bichos irreais. Esta série começou lindamente, passa-se nos anos 80 e todo o ambiente me faz lembrar o filme ET, os miúdos, as bicicletas, a aldeia... adoro! Bem mas tudo começa com o desaparecimento misterioso de um rapaz, uma aldeia em sobressalto, e todo o suspense de que aprecio muito nestas séries. Mas lá para o meio entraram os monstros e os seres estranhos e comecei a desinteressar-me. Vi a primeira temporada assim de rajada mas estou a pensar seriamente se avanço ou não para a segunda.

Designated Survivor | Netflix 

O sobrevivente designado é uma série sobre terrorismo e política. Na sequência de um enorme ataque terrorista ao capitólio os EUA viram-se sem presidente e sem todos os seus governantes. E é nesse caos que o "sobrevivente designado" é chamado a comandar o país. Esta figura da política americana torna-se presidente de um dia para o outro.
Kirkman é um homem leal e íntegro e são esses ideais que quer levar para a Casa Branca. Este homem simples tem o comando do mundo, e quer fazer política com o coração. Conseguirá? esta série prendeu-me atenção desde o primeiro minuto. 

11 de dezembro de 2017

Associação raríssimas e a crença no outro.

Vi a reportagem da tvi sobre a gestão vergonhosa que é feita pela presidente da Associação Raríssimas, e estou completamente enojada com tanto descaramento, com tanta altivez, com tanta arrogância. Uma vergonha sem igual. Tenho vergonha de pessoas assim, tenho nojo que os meus impostos paguem carros luxuosos, jóias, vestidos, viagens, e uma vida sustentada em mentiras e roubos ao invés de servirem para apoiar quem realmente precisa. 
Nem sempre podemos e mandamos e só desejo que a justiça funcione e esta senhora pague e pague bem por tudo o que tem andado a fazer.
Quanto a mim tenho pena e fico profundamente triste pelos meninos e adultos que todos os dias são abraçados (ou deviam ser!) por esta instituição e fico de coração apertado porque é só mais uma situação que me faz pensar 192428742 mil vezes antes de ajudar qualquer causa ou instituição. E sentr isto é, somente, triste. 

8 de dezembro de 2017

Às vezes, sinto falta de mim.

Abrandar. Preciso de abrandar e de respirar. Preciso de voltar a ter tempo. Preciso de me reencontrar e voltar a centrar-me na minha vida. Às vezes sinto falta de mim. Falta de pensar em mim, de ter tempo para aprender coisas novas, de ter tempo para fazer o que gosto. Sinto falta de momentos a dois com a minha pessoa e de explorar a nossa cumplicidade sem interrupções. As birras, gritos, fraldas, carros e super-heróis são giros mas cansam. Quando é que terminam as birras, as lutas e as brincadeiras loucas de super heróis e corridas? :p

Fui tia há um mês. Tia de um belo príncipe polaco. Lindo de morrer. E eu, nesta correria do dia a dia ainda não o consegui ir conhecer. Como é que sou tia e ainda não enchi o meu sobrinho de mimo e colo, muito colinho. Como é que ainda não abracei o meu irmão e lhe disse pessoalmente que a viagem da vida dele começou agora? A vida, os horários, os relógios sempre atrasados, a rotina diária que nos prende a esta correria, é lixada não é? Isso, e a história de vivermos com 22 dias de férias por ano!

25 de novembro de 2017

Chegou o Natal cá a casa!





E tudo fica ainda mais acolhedor! :)

11 de novembro de 2017

Temos cientistas cá em casa!







Cá por casa os carros, as espadas e os legos dominam as brincadeiras dos meus dois rapazes. E a verdade é que é muito difícil eu entusiasmá-los para fazerem outras brincadeiras. Às vezes acho que a culpa é minha e que devia incentivá-los ainda mais e brincar mais com eles, seja para os ajudar na pintura (nenhum dos dois se senta a fazer seja o que for por mais de 5 min), na escrita\pega do lápis,... para a leitura, etc etc.... Os trabalhos sentados não os cativam e eles estão bem é em lutas e corridas, mas este kit de ciência entreteve-os uma boa parte da manhã! Que bela surpresa, sim senhor!
O que já não é surpresa nenhuma é o caos que fazem sempre que embarcamos em brincadeiras destas! Ai paciência!

4 de novembro de 2017

Amamentação.

E completamos 2 anos e meio de amamentação. Dois anos e meio de uma cumplicidade única que vai deixar saudades, muitas saudades. 
Foram 6 meses de amamentação em exclusivo e dois anos e meio de amamentação. O meu Dinis nunca teve chupeta, nunca quis biberão, mamar era o seu conforto, era o melhor do mundo. 
O meu bebé cresceu e deixou de pedir "a maminha". E eu vou ter saudades. ♥ 

[O meu Diogo apenas mamou 5 meses, depois apareceu o biberão e deixou de pedir e querer. Nunca pensei que o meu segundo bebé fosse tão diferente. :)]

1 de novembro de 2017

A festa dos 5 anos. ♥

O meu príncipe mais crescido já completou 5 anos. E sim, teve a Dino party que tanto sonhou. Adorou e esteve sempre muito feliz o dia todo.
A novidade relativamente aos anos anteriores foi o facto de ter pedido para convidar os amigos da escola. Foi a primeira vez que pediu e se mostrou interessado. E pediu muito para ser uma festa em casa. Queria brincar no quarto, com os seus brinquedos e assim foi. Desejos concretizados. Esteve de tarde com os amigos (10!!!) e à noite com a família e tivemos um menino muito feliz o dia todo. ♥


Mais uma vez preparei tudo, duas festas num só dia. Foi cansativo, muito cansativo. Mas não nego que estas coisas me continuam a dar muito prazer fazer. ser eu a fazer. :)

5 de outubro de 2017

Dino party. Ou não!

O mês de outubro é especial. Muito especial cá por casa. É o mês em que me tornei mãe. É o mês do meu piratinha mais velho. Vai fazer 5 anos! Cinco. Caramba, cinco é mesmo muito. Uma mão cheia: um, dois, três, quatro, CINCO!  
Como sempre é aqui a mamã que prepara tudo para a festa, mas este ano não está fácil. Andamos desde o verão a tentar decidir o tema da festa, depois de muitas ideias o tema "dinossauros" parecia ter ganho e eu já andava a inspirar-me no maravilhoso mundo do Pinterest. Até que.... hoje acorda e diz que quer é muito, muito, uma festa dos "Power Rangers". Quê?! "Power Rangers"?! 
Isso é lá tema de festa! O poder argumentativo da mamã vai ter de entrar em ação.


1 de outubro de 2017

Sem tempo.

Caramba, que o mês de setembro passou num abrir e fechar de olhos. Ainda estamos em fase de adaptação a rotinas novas pós férias e, setembro já voou! Incrível.
Ando sem tempo, e isso não é particularmente uma novidade mas a verdade é que esta correria desenfreada na tentativa de chegar a tudo anda a cansar-me. Este setembro trouxe mudanças. Mudanças e decisões. Uma das quais e depois de muita indecisão foi manter o mais novo mais um ano ao cuidado e mimo da avó. Tal como o irmão irá avançar para a pré-escola apenas com os 3 anos completos. O Diogo esse já retomou as rotinas: está na sala dos 5 anos. Cinco anos! Para o ano avançará para o 1.º ciclo, ou ficará mais um ano na pré, dado que faz anos em final de outubro e será condicional. A ver vamos qual a decisão que tomaremos. Esta coisa das escolas (matrículas, decisão de qual escola frequentar, listas de espera,...) tira-me o sono.

17 de setembro de 2017

Brick Clérigos




E finalmente conseguimos uma escapadela a dois e fomos conhecer o restaurante Brick, nos Clérigos. Que boa energia este espaço transmite!
Começa logo pela longa e espaçosa mesa comum no centro do restaurante. Aquela mesa do tipo familiar que te leva logo a sentir em casa. Sim, partilhas a mesa com gente que não conheces mas se à primeira vista pode parecer estranho, no instante seguinte estás a pensar que estás em casa rodeada de amigos e família.






O espaço é super acolhedor e cheio de pormenores deliciosos: os livros e revistas à disposição. As canetas. As jarras. Os utensílios de cozinha pendurados. As especiarias e condimentos ali à mão... E quanto à comida... a comida é simplesmente deliciosa! Divinal e ótima relação qualidade preço. Restaurante super aprovado e super recomendado!

Contactos:
https://www.facebook.com/brickclerigos
Rua Campo dos Mártires da Pátria, 103
Porto



16 de setembro de 2017

Impulsos.

Quanto mais leio sobre viagens. Quanto mais leio sobre viver mais com menos. Mais me apetece mudar radicalmente de vida.

10 de setembro de 2017

Birras.

Aos 4 anos e 10 meses as birras do menino mais crescido cá de casa estão no auge. Influência ou não do mano de 2 mas as coisas têm sido desafiantes por aqui. Ontem, depois de lhe dizer pela milionésima vez que não podia fazer determinada coisa, já nem me lembro bem o quê dada a quantidade de vezes que isto tem acontecido. No meio do choro de birra, com o olhar muito triste vira-se para mim e diz:

"Já não sou mais teu amigo. E não te deixo tirar mais "trografias" ao que eu faço."

Não sei onde vão buscar a capacidade de ir buscar estas coisas e de fazer estas relações "sei-que-gostas-de-fotografias-então-vou-dizer-que-não-me-tiras-mais" mas que é assustador isso é.

3 de setembro de 2017

3 semanas de férias...




.... quase quase a chegar ao fim. Foram cansativas mas boas muito boas estas férias. Claro que ficaram marcadas pela famosa e inoportuna varicela. Primeiro no Diogo e depois em plena quinzena de praia no Dinis. Não nego que foi chato, ele não saiu de casa durante uma semana enquanto o irmão ia à praia e à piscina todos os dias. O super pai foi incansável com ele e nós sobrevivemos. E eles aproveitaram juntos os últimos dias de praia. E o meu coração aqueceu nesses dias por vê-los juntos e felizes. 

Amanhã voltam as rotinas. E eu só penso no quanto dava para ficar com eles mais tempo. Vê-los crescer, acompanhá-los nas brincadeiras, nas aprendizagens e aventuras. Sem horas marcadas.

18 de agosto de 2017

Varicela second round.

E hoje, precisamente 15 dias após o primeiro sintoma de varicela do Diogo. Surge a primeira borbulha no Dinis. A ver vamos como corre e como nos safamos com a logística de férias, miúdos e varicela. Oh sorte...

16 de agosto de 2017

7 dicas para viajar com crianças.

Ao longo dos posts que fui fazendo sobre a viagem a Paris fui recebendo uma ou outra questão sobre a parte logística da coisa. Viajar com crianças não é fácil e a palavra de ordem foi descomplicar. 
As dicas são apenas e só, opções nossas, que fomos tomando tendo em conta a fase em que estão os nossos pequenos. Acho que estas opções se vão alterando conforme a idade e a maturidade deles para saírem das suas rotinas e zona de conforto. Por exemplo, na nossa primeira viagem de avião a quatro, fomos a Madrid como podem ver aqui, optamos por levar o carrinho de bebé com a plataforma "skate" para andar o Diogo. Foi essencial ter o carrinho nessa altura e correu tudo maravilhosamente bem (tinham 1 e 3 anos).
Este ano, já com 2 e 4 anos respetivamente, e sabendo nós que o mais novo está na fase em que só quer imitar o mais velho e como o Diogo já não anda no carrinho nem no skate, estava bom de ver que o Dinis se ia recusar a andar no carrinho. E logo à partida optamos por nem o levar. Íamos comprar birras desnecessárias e depois acabaríamos por ter de andar atentos aos dois a correr pelo chão e ainda ter de empurrar\carregar um carrinho. Naaa... essa guerra não compramos e fomos à aventura sem carrinho de bebé!
Sendo assim, aqui ficam 7 dicas ou melhor 7 curiosidades sobre a nossa viagem a Paris e a logística da coisa:

  1. Não levamos sopa nem fruta apenas e só: água, cereais, bolachas e snacks. Que foram comendo durante o voo e também deu para os primeiros lanches em Paris.
  2. Não levamos carrinho de bebé.
  3. Não comeram nenhuma vez sopa. E eles são dois meninos que comem sopa todos mas todos os dias ao almoço e ao jantar. Foi a exceção à regra. Descomplicamos.
  4. Compramos iogurtes e bolachas e baguetes francesas para ter em casa e andar sempre connosco na mochila. Eles adaptaram-se super bem.
  5. Levamos apenas duas malas de cabine e duas mochilas às costas. Acho que para a próxima conseguimos descomplicar mais, pois o Dinis ainda usa fraldas e optei por levar fraldas para os 5 dias que lá estivemos, o que ocupa o seu espaço.
  6. Todos os dias íamos dormir a sesta ao apartamento que alugamos. Fazia-lhes bem a eles que acalmavam, ganhavam energia e bom humor e sabíamos muito bem a nós. 
  7. Apesar de termos alugado um apartamento bem no centro de Paris, não fizemos refeição nenhuma em casa a não ser o pequeno almoço. Por tão poucos dias achamos que não se justifca e aproveitamos para conhecer restaurantes locais. Eles adaptaram-se lindamente aos novos sabores.

15 de agosto de 2017

5 hábitos que tenho de implementar.








1 – Beber mais água. Esta é básica, e é daquelas coisas que todos sabemos que o devemos fazer mas por mais lembretes, por mais avisos, por mais garrafas bonitas que compre e estratégias que implemente está difícil conseguir beber 2 litros de água por dia. 

2 – Comer mais fruta. E aqui a minha meta é básica: quero conseguir comer uma peça de fruta por dia. Sou só eu que não como? Acho sempre que há outras coisas mais tentadoras do que uma peça de fruta para saciar a fome. 

3 – Jantar a dois, duas vezes por mês. Preciso de mais tempo para estar com a minha pessoa a sós. Sem os miúdos que estão numa fase super cansativa de tão elétricos que andam. Preciso de tempo a dois sem berros, e sem conversas sobre fraldas, sonos e afins. Quero uma vez de quinze em quinze dias ter uma noite só minha, só nossa. 

4 – Pensar mais em mim. Não voltar adiar manicure e pedicure apenas e porque me sinto culpada por deixá-los sem a minha companhia mais tempo do que aquele em que estou a trabalhar. Às vezes culpo-me e adio coisas minhas que não podem ser consideradas um luxo, pois são também a minha fonte de bem estar: cabeleireiro, compras, manicure, pedicure,.. coisas fúteis sim... mas que com conta, peso e medida me fazem sentir especial e me ajudam a sorrir. 

5 – Inscrever-me em mais um curso (ou workshop) que me realize, neste último trimestre do ano. Faz-me bem investir em mim em coisas extra trabalho. É aquele momento e tempo só meu. 

Em dezembro comprometo-te a fazer o balanço destas cinco mini metas, que pretendo implementar logo após férias.

Photo by Sarah Dorweiler on Unsplash

14 de agosto de 2017

Séries: Big Little Lies.




Bullying, violência doméstica, competitividade feminina, casamentos felizes ou aparentemente felizes, crime,... são os ingredientes desta mini série de sete episódios que me prendeu desde o primeiro minuto. A série começa com um crime mas onde não se percebe qual o tipo de crime, nem quem o cometeu nem quem o sofreu. Cada episódio tem, aproximadamente, uma hora de duração. Hora essa em que somos transportados para um mundo sobre o dia a dia de famílias aparentemente “perfeitas”, daquelas em que olhamos e pensamos “mas que ricas vidas” e vamos entrando lentamente na vida destas famílias de estatuto social elevado. Tudo parece superficial e perfeito. Até que as portas de cada uma das casas se vão abrindo e nós vamos percebendo que uma coisa é o estatuto social e o “aparentar ser”, e outra bem diferente é a realidade que se passa dentro de portas. Porque no fundo cada uma destas famílias “perfeitas” enfrenta diversos problemas. Problemas que qualquer família “normal” podia enfrentar. Questões existenciais, amores mal resolvidos, dúvidas sobre a educação dos filhos,.. Uma série real que nos faz pensar mais uma vez que toda a gente pode mostrar que a vida é só cor da rosa, mas só que não. Nunca o é.
Gostei.

12 de agosto de 2017

Férias!


E finalmente estou de férias! Tão bom! Estou super ansiosa por pisar areia, ansiosa por ver os meus príncipes a brincar juntos, de pés descalços, como nesta foto. Claro que sonho com praia, mar, sol, mergulhos e gargalhadas. Mas para já estamos em modo "cuidar da varicela" do Diogo. O meu pequeno Dinis ainda não tem sinais nenhuns... a ver vamos...   

10 de agosto de 2017

Viajar com crianças. Paris. Dia 5.

O quinto dia foi o último dia em Paris. Acordamos, arranjamos as malas e saímos para explorar as redondezas e tomar o pequeno almoço numa esplanada com todo o tempo do mundo. Eles brincaram na rua e exploraram as redondezas.


Depois e, como já tínhamos prometido aos pequenos iríamos visitar e explorar a famosa loja Lego que existe no Forum des Halles. Escusado será dizer que foi a loucura e que passamos horas lá dentro. Escolheram um presente cada um, uma recordação da nossa visita a Paris e que os deixou entretidos durante todas as horas de viagem que ainda nos esperavam até ao Porto.






Para os fãs de legos a loja vale a visita, é quase um pequeno museu e onde existe uma variedade de legos incrível. Há também zonas de lazer para os mais pequenos onde podem explorar novas construções com peças diferentes das que têm habitualmente em casa. Foi um sucesso esta manhã na loja da lego. Como estávamos com as malas, deu-nos muito jeito porque assim não andamos com elas de um lado para o outro. Foi aposta ganha termos deixado esta visita para o último dia. 






Depois almoçamos calmamente e fomos apanhar o autocarro que nos levou até ao aeroporto. E sim, esta viagem foi cansativa mas tão boa que deixou saudades. Viajar é uma paixão, sem dúvida! E aos pouquinhos aprendemos a viajar em família.


9 de agosto de 2017

Varicela.

O Diogo está com varicela a poucos dias das nossas tão aguardadas férias de verão. O mais novo ainda não teve varicela. A ver vamos o que nos espera os próximos dias. Oh sorte! 
E sair-me o euromilhões não era bem mais giro?

1 de agosto de 2017

A maternidade é um lugar estranho.

Cá em casa andamos todos a precisar de férias. Nós adultos andamos cansados, eles... os miúdos, andam numa fase cheia de energia, e não param um segundo. Deixam-nos loucos. E isto tem sido um pouco caótico de gerir. Mas quando eles, os miúdos mas giros de todos, não estão em casa... quando a casa é invadida por um silêncio ensurdecedor... eu tenho saudades do caos que é quando eles estão. A maternidade é assim estranha, não é? 



28 de julho de 2017

Viajar com crianças. Paris. Dia 4.

Este foi o dia mas fácil. E porquê? Porque já estava com o coração cheio de ter tido 3 dias tão intensos e que tinham corrido tão bem, que este quarto dia foi para usufruirmos da cidade em todo o seu esplendor. Os miúdos já estavam cansados, era notório. Sentimos que nos iam pedir muito mais colo do que nos dias anteriores e então resolvemos respirar a cidade com toda a calma, e sem grandes expectativas. 




Começamos por apanhar o metro até à Place de la Concorde. Espreitamos o Jardin des Tuileries e depois percorremos a pé um longo caminho mesmo junto ao Sena. 




Os pequenos iam explorando a zona, admiravam-se com os “barco-casas” que íamos encontrando até chegarmos à famosa Pont Alexandre III. Linda que só ela esta ponte. Adoro.



Bem, atravessamos a ponte, e caminhamos até ao Hotêl dos Invalides, sempre com a torre Eiffeil em vista. Continuamos pela Ecole Militaire e aterramos no Parc Champ de Mars mesmo junto à torre Eiffeil. Aqui descalçamos as sapatilhas, compramos umas baguetes francesas e fizemos um piquenique.



Os miúdos deliraram, fizeram ginástica, brincaram e correram até mais não. O tempo ajudou, e nós descansamos e admiramos mais uma vez a imponência desta obra de arte, símbolo de Paris.



Já satisfeitos de brincadeiras e de barriga composta fomos até à Opera National de Paris e, também, espreitar as majestosas e luxuosas Galeries Lafayette que ficam mesmo ao lado.



Mas bem, depois voltamos ao apartamento e depois de umas belas sestas o melhor do da ainda estava para vir. Aproveitando o por do sol, e a bela luz de Paris fizemos um passeio de barco para descobrir Paris de outro modo. Nós adoramos e os miúdos deliraram. Que passeio deslumbrante para finalizar, em beleza, um dia que me deixa tantas saudades!








Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016